Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mulher é presa nos EUA por ameaçar juíza que preside processo contra Trump

Tanya Chutkan, que supervisiona o caso federal de conspiração para reverter os resultados eleitorais de 2020, foi caluniada e ameaçada de morte

Por Da Redação
17 ago 2023, 10h37

Uma mulher foi presa nos Estados Unidos nesta quinta-feira, 17, após ser acusada de ameaçar matar uma juíza que está supervisionando um dos processos criminais contra o ex-presidente do país, Donald Trump.

Abigail Jo Shry, 43, do Texas, supostamente telefonou para o tribunal em Washington D.C., onde tramita o processo, em 5 de agosto e usou um xingamento racista em sua mensagem para Tanya Chutkan, a juíza distrital dos Estados Unidos que preside o caso em que o Departamento de Justiça acusa Trump de conspiração por tentar reverter os resultados eleitorais de 2020.

+ Biden e Trump empatariam na corrida pela Casa Branca de 2024, diz pesquisa

Shry também supostamente ameaçou matar políticos do Partido Democrata no Congresso.

Ela admitiu ter feito o telefonema depois que investigadores rastrearam seu número de celular, de acordo com um documento do tribunal. Na ligação, Shry supostamente disse à juíza: “Você está na nossa mira, queremos matá-la”.

Os promotores dizem que a texana acrescentou: “Se Trump não for eleito em 2024, vamos matá-la”.

Continua após a publicidade

+ Trump e Biden: de processo em processo, campanha nos EUA já pega fogo

Além disso, ela fez ameaças contra todos os democratas em Washington D.C. e a comunidade LGBTQIA+, de acordo com o processo judicial. Supostamente, Shry também ameaçou matar a congressista Sheila Jackson Lee, uma democrata negra do Texas que está concorrendo à prefeitura de Houston.

Quando a polícia federal foi à casa de Shry no subúrbio de Alvin, em Houston, três dias depois, ela disse que não tinha intenção de ir a à capital do país para cumprir suas ameaças, mas teria acrescentado que “se Sheila Jackson Lee vier para Alvin, então precisamos nos preocupar”.

+ Diante de outra acusação de interferência eleitoral, Trump ataca promotora

Um dia antes do telefonema ameaçador, Trump havia postado em sua rede social, Truth Social, em letras maiúsculas: “SE VOCÊ FOR ATRÁS DE MIM, EU VOU ATRÁS DE VOCÊ!” O ex-presidente americano havia sido indiciado um dia antes pelas acusações de conspiração eleitoral.

Continua após a publicidade

Na última sexta-feira 11, a juíza Chutkan alertou em uma audiência no tribunal que ambos os lados deveriam evitar quaisquer “declarações inflamatórias” sobre o caso.

Ao mesmo tempo, em ataques a oficiais envolvidos em outro caso contra o ex-presidente, apoiadores de Trump publicaram detalhes pessoais dos membros do grande júri da Geórgia que votaram para indiciá-lo por interferência eleitoral no início desta semana.

+ Por que a última acusação contra Trump é a mais perigosa até agora

Um relatório de uma organização de investigação privada revelou que, nas redes sociais, trumpistas defenderam o uso da violência contra os membros do júri e Fani Willis – promotora que lidera o caso.

Nesta segunda-feira, um tribunal da Geórgia publicou uma acusação de 98 páginas contra Trump por “conspirar ilegalmente” para mudar o resultado da eleição enquanto participava de uma “organização criminosa”.

Continua após a publicidade

Ele nega todas as acusações. Willis deu a Trump e a outros 18 réus a oportunidade de se renderem voluntariamente até o meio-dia de 25 de agosto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.