Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Moscou vai iniciar vacinação contra a Covid-19 no sábado

Primeiro grupo a ser imunizado serão os funcionários da saúde, de serviços sociais e professores; vacina Sputnik V foi testada em 40.000 pessoas

Por Da Redação 3 dez 2020, 15h04

Sergey Sobyanin, o prefeito de Moscou, na Rússia, anunciou nesta quinta-feira, 3, que a campanha de vacinação contra o novo coronavírus na cidade começará em dois dias, no sábado, 5. O primeiro grupo a ser imunizado serão os funcionários da saúde, de serviços sociais e professores.

A informação, divulgada no blog da prefeitura, destaca que o presidente Vladimir Putin ordenou o início do processo de imunização em grande escala, com a vacina Sputnik V, já na semana que vem. Segundo Sobyanin, Moscou está preparada para iniciar a campanha já neste sábado.

“Toda a infraestrutura tecnológica e organizacional já foi criada. Foram selecionadas instalações especializadas para o armazenamento e foram preparados refrigeradores e recipientes refrigerados para o fornecimento das vacinas”, escreveu o prefeito. Ele completou que funcionários já foram preparados para aplicar a vacina.

“Para testar o enorme mecanismo da imunização em massa, vamos abrir um registro eletrônico de imunização para professores, trabalhadores da saúde e funcionários dos serviços sociais da cidade a partir do dia 4”, explicou.

Já nesta sexta-feira será possível se cadastrar para participar da campanha. De acordo com a postagem de Sobyanin, a lista de pessoas aptas a serem imunizadas será ampliada à medida que chegarem mais doses da vacina.

Continua após a publicidade

Segundo o presidente Putin, o país já terá produzido 2 milhões de doses da vacina dentro dos próximos dias. Na semana passada, o país anunciou que sua vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Gamaleya de Moscou, tem eficácia “acima de 95%” 21 dias após a aplicação da segunda dose.

Até agora, 40.000 voluntários estão participando do estudo de fase 3 da Sputnik, duplo-cego, randomizado e controlado por placebo na Rússia. Mais de 22.000 voluntários já receberam a primeira dose e mais de 19.000 receberam a segunda, segundo um comunicado publicado na semana passada. As duas doses devem custar cerca de 20 dólares e os cidadãos russos são “prioridade absoluta”, de acordo com o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Os recentes esforços para iniciar a vacinação no país ocorrem logo após o Reino Unido anunciar a aprovação de uma vacina produzida pela americana Pfizer e a alemã BioNTech.

O Ministério da Saúde disse recentemente que a vacinação em massa contra o coronavírus na Rússia estava planejada para janeiro ou fevereiro, mas que a vacinação de grupos de risco já começaria em dezembro.

Ao todo, o país soma mais de 2,3 milhões de casos, incluindo 41.173 mortes. A Rússia é o quarto país com mais infecções registradas, atrás de Estados Unidos, Índia e Brasil.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade