Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Morre tibetano que se imolou em Délhi; manifestantes são presos

Por Por Rupam Jain Nair
28 mar 2012, 10h56

O tibetano exilado que ateou fogo ao próprio corpo na segunda-feira em Nova Délhi morreu nesta quarta-feira, enquanto uma centena de outros manifestantes contrários à visita do presidente chinês Hu Jintao a capital indiana foram presos pela polícia.

Jamphel Yeshi, 27 anos, imolou-se durante um protesto em pleno centro da cidade. Com o corpo em chamas, correu pela rua aos gritos.

É a primeira vez que um tibetano morre desta maneira em um outro país que não a China. Suicídios similares acontecem com frequência desde março de 2011 nas regiões tibetanas chinesas.

A manifestação desta quarta-feira foi convocada por tibetanos exilados na Índia por ocasião da visita de Hu Jintao, que participará em uma reunião com os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na quinta-feira, para alertar contra a repressão chinesa ao Tibete.

Segundo testemunhas, a polícia prendeu nesta quarta-feira dezenas de manifestantes, incluindo muitas mulheres, reunidos no mesmo local em que Yeshi cometeu o ato de imolação.

Estudantes tibetanos afirmaram ainda que a polícia os impediu de sair de suas casas e que as forças de segurança patrulhavam os bairros em que residem tibetanos exilados, na zona norte da capital.

“Eu estou preso desde ontem em minha casa com 150 outros estudantes”, declarou à AFP Paldin Sonam, 24 anos, militante tibetano que estuda na Universidade de Nova Délhi.

Continua após a publicidade

“A polícia diz que tem medo que as pessoas façam a mesma coisa que Yeshi”.

O porta-voz da polícia de Nova Délhi, Rajan Bhagat, assegurou que a polícia não foi enviada “às residências dos tibetanos, mas foi dada a ordem de não protestarem durante a reunião”.

“Os manifestantes foram levados para longe do local de protesto, pois não tinham permissão”, acrescentou.

A morte de Yeshi, que fugiu de seu país em 2006, foi constatada na manhã desta quarta-feira no hospital Ram Manohar Lohia.

“Seu corpo parou de funcionar. Ele tinha 98% do corpo queimado”, disse à AFP o diretor do setor de queimaduras, L.K. Makhija.

Tibetanos que participavam da manifestação descreveram Yeshi como um homem sem emprego estável e que preparou com cuidado a ação. Ele tinha escondido uma garrafa de gasolina com a qual se molhou.

Continua após a publicidade

Antes do anúncio da morte, Tenzing Choegyal, membro do Congresso da Juventude Tibetana, afirmou que seu amigo nunca esqueceu a tortura que sofreu pelos chineses no Tibete.

“Yeshi era um prisioneiro político no Tibete. Foi preso duas vezes pela polícia”, contou à AFP.

Quase 30 tibetanos, em sua maioria monges budistas, imolaram-se ou tentaram desde março de 2011.

Muitos tibetanos afirmar sofrer com a repressão religiosa e cultural, considerada com uma forma de dominação dos Han, etnia majoritária na China.

A China rejeita as acusações e considera o líder espiritual dos tibetanos, o Dalai Lama, um perigoso separatista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.