Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ministro líbio do Trabalho deserta nesta terça em Genebra

Kadafi também é pressionado em Trípoli, onde 25 explosões foram ouvidas

Por Da Redação
7 jun 2011, 13h18

O ministro do Trabalho da Líbia, Al Amin Manfur, desertou nesta terça-feira, quando estava em Genebra para participar na Assembleia da Organização Internacional do Trabalho (OIT), informou à agência de notícias France-Presse a missão líbia na Organização das Nações Unidas (ONU). “Sim, confirmamos a deserção”, declarou uma representante. A notícia já havia sido divulgada pelo portal suíço Swissinfo.

No fim de maio, o embaixador da Líbia junto à União Europeia e aos países do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), Hadeiba Alhadi, também anunciou que deixaria o cargo com todos os seus colaboradores. Tratou-se de um protesto contra a violenta repressão dos insurgentes contrários ao regime de Muamar Kadafi pelas tropas do governo.

Histórico – Esses não foram os primeiros membros do governo a abandonar Kadafi por causa da violência. O ministro de Petróleo da Líbia, Shokri Ghanem, deixou o regime, em 17 de maio, informaram os rebeldes líbios. A deserção teria ocorrido meses depois que o ministro das Relações Exteriores, Mussa Kussa, e o embaixador da Líbia na Organização das Nações Unidas (ONU), Ali Abdussalm Trek, também abandonaram os seus cargos.

Em fevereiro, em uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos sobre a Líbia, os diplomatas da missão líbia desertaram em plena sessão, sob os aplausos dos membros da organização. Vários representantes internacionais estão reunidos na Assembleia da OIT, criada em 1919, e que encontrou uma nova legitimidade com a crise.

Continua após a publicidade

Explosões – Enquanto isso, a violência no país cresce. Pelo menos 25 explosões foram ouvidas em Trípoli nesta terça. Ataques aéreos da Otan também atingiram uma base militar e, segundo a TV estatal da Líbia, o complexo residencial de Muamar Kadafi. De acordo com a emissora, a residência do ditador estava sob “bombardeio contínuo intensivo”, e edifícios teriam sido destruídos.

Os ataques da Otan na capital líbia se multiplicaram nos últimos dias e o complexo de Bab Al-Azizia foi atacado em várias ocasiões desde o início das operações aliadas. A primeira explosão desta terça foi ouvida às 10h45 (hora local, 5h45 em Brasília) e as outras três imediatamente depois.

(Com agência EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.