Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Mapa das eleições na França: o país dividido

A divisão política se refletiu em áreas geográficas: Le Pen ganhou apoio nas zonas rurais, enquanto Macron recebeu mais votos nos grandes centros urbanos

Por Julia Braun Atualizado em 24 abr 2017, 15h00 - Publicado em 24 abr 2017, 13h38

O primeiro turno das eleições do último domingo dividiu a França ideológica e geograficamente. A vitória do centrista Emmanuel Macron e da candidata de extrema-direita Marine Le Pen apresenta uma nova segmentação entre os cidadãos que ainda estão esperançosos em relação ao futuro do país e aqueles que estão cansados e pessimistas após uma crise econômica que já dura dez anos.

A França mais otimista foi encarnada por Macron neste primeiro turno, enquanto a versão mais raivosa do país encontrou em Le Pen uma possível saída.  No entanto, mais do que uma segmentação ideológica, o país enfrentou uma divisão física em suas fronteiras.

As regiões oeste do país apoiaram quase que totalmente Emmanuel Macron, enquanto o leste da França votou principalmente em Marine Le Pen. Além disso, a candidata da Frente Nacional foi levada ao segundo turno graças ao apoio das zonas rurais, periféricas, enquanto Macron recebeu mais votos dos eleitores nos grandes centros urbanos

O centrista ganhou nas áreas que votaram no atual presidente François Hollande nas eleições de 2012. Nos departamentos no oeste do país, Macron alcançou até 20% dos votos. Em Paris, uma das cidades que registrou maior adesão ao candidato, Macron obteve 34,8% dos votos.

Continua após a publicidade

Le Pen manteve sua popularidade no leste do país e ao longo da costa Mediterrânea, onde tradicionalmente a Frente Nacional costuma ter mais eleitores. Foi nas regiões próximas a fronteira com a Bélgica e no nordeste da França que a candidata de extrema direita viu seus votos crescerem de forma mais acentuada neste primeiro turno.

Em sua maioria, estas são regiões marcadas pela desindustrialização e pelo desemprego, mais suscetíveis ao discurso anti-imigração e anti-União Europeia de Marine Le Pen. Já nas grandes metrópoles, os números da candidata de extrema-direita são baixíssimo. Em Paris, ela obteve apenas 5% dos votos e em Lyon 8%. 

O esquerdista Jean-Luc Mélenchon ficou em primeiro lugar nos departamentos de Dordonha, na região oeste, e Ariège, no sul do país. O candidato de direita François Fillon ganhou em Sarthe, Mayenne e Orne, no noroeste, e em Lozère e na Alta Saboia, nas regiões central e leste da França, respectivamente.

Segundo informações do Ministério do Interior francês, Macron liderou o primeiro turno com 23,75% dos votos. Le Pen aparece em segundo lugar, com 21,53% e Fillon em terceiro, com 19,91%. Mélenchon conquistou o apoio de 19.64% dos eleitores que votaram e o socialista Benoît Hamon de 6.35%.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)