Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Kofi Annan se reunirá com a Liga Árabe na próxima quarta

Nabil al Araby, secretário-geral da Liga Árabe, disse que será eleito um enviado árabe para acompanhar Annan

Por Da Redação 1 mar 2012, 13h45

O secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al Araby, anunciou nesta quinta-feira que na próxima quarta se reunirá com o ex-secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan no Cairo para iniciar as negociações sobre sua nova missão à Síria. Nomeado na semana passada como enviado especial da ONU e a Liga Árabe para a Síria, Annan visitará a sede da organização pan-árabe para afinar os detalhes de sua missão, ainda sem data.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

Em entrevista coletiva no Cairo, o secretário-geral da Liga Árabe disse que será eleito um enviado árabe para acompanhar Annan, conforme foi estipulado com a ONU. Annan, principal responsável das Nações Unidas entre 1997 e 2006, será o encarregado de promover uma saída pacífica à crise síria por meio do apoio de todas as partes envolvidas no conflito.

Araby disse que sua organização abrigará durante duas semanas uma reunião de diversos opositores sírios para que eles consigam superar as diferenças existentes. Ele também voltou a pedir ao regime sírio que suspenda imediatamente a violência na Síria e permita o envio de ajuda humanitária, e lembrou que Damasco assinou em novembro uma iniciativa árabe que estipulava, entre outros pontos, o fim do derramamento de sangue e as retiradas das tropas das cidades. O secretário-geral da Liga Árabe destacou que o regime de Bashar Assad se comprometeu a cumprir esse plano, mas que até o momento não o fez.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade