Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jihadistas proclamam um Estado islâmico entre o Iraque e a Síria

Anúncio foi feito em página da internet dos insurgentes sunitas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL). Combates prosseguem no Iraque

Os insurgentes sunitas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) proclamaram nesta segunda-feira a criação de um Estado islâmico nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria. Os jihadistas também proclamaram Abu Bakr al-Baghdadi, chefe dos insurgentes, como o califa do novo “Estado” e o “líder dos muçulmanos em todos os lugares”, reporta a rede BBC. A criação de um califado islâmico era o principal objetivo dos insurgentes sunitas que há semanas iniciaram uma forte ofensiva contra as forças de segurança iraquianas, controladas pelo governo xiita do primeiro-ministro Nuri al Maliki.

O que é um califado?

É um Estado islâmico governado por um único líder político e religioso, o Califa.

Califas são considerados por seus seguidores como sucessores de Maomé e soberanos sobre todos os muçulmanos.

O primeiro califado surgiu depois da morte do profeta Maomé, no ano de 632.

Nos séculos que se seguiram, foram criados outros califados no Oriente Médio e no Norte da África.

O último califado foi abolido em 1924 pelo líder turco Kemal Ataturk, criador do Estado moderno turco, depois do colapso do Império Otomano.

Enquanto isso, o Exército iraquiano luta para retomar a cidade de Tikrit, no norte do país, realizando combates contra os insurgentes. A cidade foi tomada pelos jihadistas em 11 de junho, depois de uma rápida e violenta investida. Preocupado com a turbulência na região, Israel pediu a criação de um Estado curdo independente para ajudar a conter o avanço sunita. Hoje o Curdistão é uma região autônoma no Iraque, mas ainda subordinada ao governo de Bagdá.

Leia também

Exército do Iraque intensifica ataque ao município de Tikrit

Confrontos deixam 21 soldados mortos ao sul de Bagdá

Helicópteros disparam contra universidade em área sob controle rebelde

O EIIL anunciou o nascimento do califado em uma gravação de áudio divulgada em sua página de internet. O grupo terrorista comunicou também que a partir de agora seria conhecido simplesmente como “Estado islâmico”. Jeremy Bowen, especialista em Oriente Médio ouvido pela BBC, disse que a denominação remete aos primórdios do Islã, quando os seguidores do profeta Maomé conquistaram vastos territórios na Idade Média e criaram um Estado islâmico.

Os insurgentes disseram que o atual Estado islâmico compreende uma região entre Alepo, no norte da Síria, até a província de Diyala, no nordeste do Iraque. Abu Bakr al-Baghdadi deseja ser chamado de “califa Ibrahim”. Por fim, a gravação também exige que todos os muçulmanos “prometam lealdade” ao novo governante e “rejeitem a democracia e outros tipos de lixo do Ocidente”.