Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Japão revela primeiras descobertas sobre colisão de aviões que matou cinco

Investigação continua, mas transcrição de conversas com a torre de controle mostra que as duas aeronaves não deveriam estar na mesma pista

Por Da Redação
Atualizado em 7 Maio 2024, 16h40 - Publicado em 3 jan 2024, 09h34

Autoridades do Japão revelaram nesta quarta-feira, 3, as primeiras descobertas de uma investigação sobre a colisão de aviões que matou cinco pessoas na véspera e chocou o mundo. De acordo com as transcrições das conversas entre a aeronave comercial da Japan Airlines e a torre de controle, os pilotos receberam permissão para pousar antes do Airbus bater em um turboélice da Guarda Costeira no aeroporto de Haneda, em Tóquio – o qual, por sua vez, não foi autorizado a decolar.

Embora cinco dos seis tripulantes da aeronave da Guarda Costeira tenham morrido no acidente – todos exceto o piloto, que escapou com ferimentos graves dos destroços –, milagrosamente, todas as 379 pessoas a bordo do Airbus consumido pelo fogo sobreviveram. As circunstâncias que rodeiam o incidente, incluindo a forma como as duas aeronaves acabaram na mesma pista, porém, permanecem incertas.

+ Após terremotos, Japão suspende alertas de tsunami em todo país

Revelações

A investigação continua, mas as transcrições das instruções de controle de tráfego já indicam que o avião da Japan Airlines recebeu permissão para pousar, enquanto a aeronave da Guarda Costeira foi instruída a taxiar até um ponto de espera próximo à pista. Além disso, um funcionário do departamento de aviação civil do Japão disse a repórteres que não havia nenhuma indicação nas transcrições de que a Guarda Costeira tivesse recebido permissão para decolar.

Um oficial da Guarda Costeira afirmou que o capitão do seu avião, que transportava insumos destinados às pessoas afetadas pelo terremoto que matou 55 no dia de Ano Novo, disse só ter entrado na pista após receber permissão. No entanto, ele reconheceu que não havia nenhuma indicação disso nas transcrições.

Continua após a publicidade

“O Ministério dos Transportes está apresentando evidências objetivas e cooperará totalmente com a investigação para tomar todas as medidas de segurança possíveis para evitar [que um acidente como esse ocorra novamente]”, disse o ministro dos Transportes, Tetsuo Saito, em coletiva de imprensa.

+ Japão emite alerta de tsunami após série de terremotos

A investigação

De acordo com as autoridades, o Conselho de Segurança dos Transportes do Japão (JTSB) está investigando o incidente, com a participação de agências da França, onde o Airbus foi construído, e do Reino Unido, onde seus dois motores Rolls-Royce foram fabricados. O JTSB recuperou o gravador de voz da aeronave da guarda costeira.

Em paralelo, a polícia de Tóquio está investigando se houve negligência profissional, segundo os jornais japoneses Kyodo e Nikkei. A polícia montou uma unidade especial no aeroporto e planeja entrevistar os envolvidos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.