Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel destrói centro social palestino construído com ajuda espanhola

Jerusalém, 24 jan (EFE).- O Exército israelense demoliu nesta terça-feira uma dezena de imóveis palestinos na localidade de Anata, na Cisjordânia, entre eles um centro comunitário e uma casa construídos por voluntários espanhóis com financiamento da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).

A demolição foi efetuada nesta madrugada em Anata, ao nordeste de Jerusalém, confirmaram à Agência Efe fontes diplomáticas e do Comitê Israelense Contra a Demolição de Casas (ICAHD, na sigla em inglês).

Em uma das casas destruídas, vivia uma família de 17 pessoas, que foi desalojada e deixada na rua no meio da noite, enquanto a outra é conhecida como Beit Arabiya (Casa Árabe), o ‘Centro da Paz’ onde o ICAHD realiza atividades de defesa dos direitos humanos, disse à Efe Itay Epshtein, codiretor da ONG.

Dezenas de voluntários estrangeiros irão a Beit Arabiya nos próximos meses para colaborar na reconstrução de casas destruídas por Israel em território palestino ocupado, em um projeto financiado pela AECID.

‘Este ato faz parte da perseguição sistemática que os movimentos de direitos humanos sofrem neste país, onde reina a lei da selva’, declarou à Efe Meir Margalit, cofundador da ONG e vereador de Jerusalém pelo partido pacifista Meretz.

Epshtein explicou que a Beit Arabiya ‘é uma casa emblemática que acolhe atividades pela paz, conferências, encontros entre israelenses e palestinos e ativistas de todo o mundo’. ‘É a quinta vez que esta instituição é demolida e voltaremos a reerguê-la’, afirmou.

Quanto ao outro imóvel, relatou: ‘Os soldados entraram à meia-noite, acordaram as crianças, as tiraram das camas, as jogaram no frio do inverno e destruíram sua casa na frente de seus próprios olhos. É difícil encontrar palavras para descrever a crueldade de uma ação desta índole’.

Além destes dois imóveis construídos com ajuda espanhola, o Exército israelense também demoliu uma dezena de casas e construções do povoado beduíno vizinho.

De acordo com o ICAHD, as demolições obedecem ao ‘plano sistemático para deslocar os palestinos da Área C (cerca de 60% da Jordânia, controlada por Israel) e transferi-los para a Área A (controlada pela Autoridade Nacional Palestina)’.

O porta-voz da Administração Civil israelense (organismo militar que coordena a ocupação), Guy Inbar, confirmou à Efe que ‘cinco casas construídas sem a permissão necessária foram demolidas’. ‘Havia ordens para que eles próprios parassem as construções e demolissem as casas, mas não o fizeram’, disse o representante.

O militar declarou que os ocupantes ‘também não compareceram à audiência convocada para que provassem que tinham as permissões necessárias’ e afirmou que após todos esses passos as casas foram demolidas.

Questionado sobre a quase impossibilidade dos palestinos de obter permissões de construção na Área C, Inbar respondeu que no último ano foram aprovados alguns pedidos de construção, ‘mas se tal permissão não for recebida, isso não significa que podem construir contra a lei’. EFE