Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Índia proíbe a exibição de ‘Cinquenta Tons de Cinza’

Os links no Youtube para o documentário sobre o estupro coletivo de 2012 também foram bloqueados depois de pedidos do governo indiano

Por Da Redação
Atualizado em 5 jun 2024, 10h18 - Publicado em 5 mar 2015, 16h05

O comitê de censura da Índia proibiu a exibição do filme “Cinquenta Tons de Cinza” nos cinemas do país. Os produtores da adaptação cinematográfica do romance erótico escrito por E.L. James chegaram a propor uma versão sem nenhuma cena de nudez, mas não convenceram o conselho: os diálogos e a própria temática do filme foram recriminados. Ainda cabe recurso da decisão. O filme já havia sido censurado em países como Indonésia, Malásia e Quênia.

Essa não é o primeiro caso de censura de filmes na Índia. As autoridades indianas acreditam que o veto a produções com cenas de sexo pode coibir o alto número de estupros no país, o que nunca se provou.

Também nesta semana, foi vetada a exibição de um documentário da BBC que traz uma entrevista com um dos condenados pelo estupro coletivo de uma jovem dentro de um ônibus em Nova Délhi, em 2012. O governo indiano pediu ao Youtube que bloqueasse todos os acessos a India’s Daughter (“Filha da Índia”), e nesta quinta-feira a maioria dos links já não estava mais no ar.

Leia também

Índia proíbe exibição de documentário sobre estupro coletivo

Continua após a publicidade

Condenado por estupro coletivo na Índia culpa a vítima

O ministro do Interior da Índia, Rajnath Singh, acusou os produtores de India’s Daughter de violarem as “condições de permissão de exibição”, por não terem apresentado a filmagem completa aos funcionários dos comitês examinadores.

Leia mais

Por que acontecem tantos estupros na Índia?

Continua após a publicidade

Estupros na Índia: alguns dos casos mais cruéis

Os comentários de Mukesh Singh, um dos quatro homens condenados à morte pelo estupro da jovem de 23 anos, causaram tumulto nas redes sociais e reacenderam o debate sobre igualdade de gêneros no país. O sistema judiciário indiano, que contém leis contra “discursos de ódio” para prevenir conflitos entre as diferentes comunidades religiosas e étnicas que compõem sua população, decidiu intervir mais uma vez no caso.

(Da redação)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.