Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Finlândia entra formalmente na Otan na terça-feira, diz secretário-geral

Anúncio não foi bem recebido por Moscou, que informou que irá reforçar defesas perto de sua fronteira de 1.300 km com os finlandeses

Por Da Redação
3 abr 2023, 18h04

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, anunciou nesta segunda-feira, 3, que a Finlândia se juntará formalmente na terça-feira à principal aliança militar ocidental, mesmo com a forte insatisfação russa. Na semana passada, a Turquia aprovou a solicitação do país nórdico para participar da Otan, pondo fim ao último obstáculo no processo de adesão, que teve início em 2022.

Após a invasão da Rússia à Ucrânia, em fevereiro do ano passado, a Suécia e Finlândia romperam o histórico de não-alinhamento militar ao solicitar uma adesão conjunta à Otan. O pedido, no entanto, foi travado em momentos devido a conflitos com Ancara, sobretudo em relação a Estocolmo.

Ao descrever o momento como “histórico”, Stoltenberg comunicou que Turquia e Finlândia devem entregar a versão final dos textos ao secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, na terça-feira. O secretário-geral disse, ainda, que a entrada finlandesa na aliança é benéfica “para a segurança nórdica e para a Otan como um todo”.

+ Parlamento da Turquia aprova adesão da Finlândia à Otan

O presidente finlandês, Sauli Niinistö, e o ministro das Relações Exteriores finlandês, Pekka Haavisto, viajarão a Bruxelas para participar da cerimônia de ingresso.

“Para a Finlândia, o objetivo mais importante da reunião será enfatizar o apoio da Otan à Ucrânia enquanto a Rússia continua sua agressão ilegal. Procuramos promover a estabilidade e a segurança em toda a região euro-atlântica”, comunicou Haavisto.

A notícia, no entanto, não foi bem recebida por Moscou, que informou o reforço de suas defesas perto de sua fronteira de 1.300 km com os finlandeses. O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko, declarou que aumentará o potencial militar na região para a defesa da segurança russa, caso “forças e recursos de outros membros da Otan forem implantados na Finlândia”.

Continua após a publicidade

+ Extrema direita vence eleição na Finlândia e derruba premiê progressista

Mesmo com o avanço da Finlândia, a solicitação sueca segue estagnada, já que a Turquia reforçou sua negativa à entrada do país na aliança. O principal entrave está ligado à recusa do país em extraditar dezenas de curdos que Ancara afirma serem militantes foragidos após uma tentativa fracassada de golpe em 2016.

Novas objeções da Hungria também dificultam o caso. Na semana passada, o ministro das Relações Exteriores da Suécia, Tobias Billström, disse não estar confiante de que o pedido será aceito nos próximos meses. “Acho que ‘esperançoso’ neste contexto é melhor”, afirmou.

Continua após a publicidade

O secretário-geral da aliança relatou, contudo, que não poupará esforços para a aprovação sueca antes da cúpula. “A Suécia não está sozinha. A Suécia está o mais perto que pode chegar como um membro de pleno direito”, informou Stoltenberg. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve se reunir com os membros da Otan na capital da Lituânia, Vilnius, entre 11 e 12 de julho.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.