Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

EUA iniciam ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Líbia

Os ataques estão concentrados na região de Sirte, que se transformou em um reduto dos jihadistas no país

Por Da redação
Atualizado em 4 jun 2024, 21h48 - Publicado em 1 ago 2016, 17h27

Os Estados Unidos começaram nesta segunda-feira a lançar ataques aéreos contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Líbia, a pedido do governo provisório do país. Os bombardeios estão concentrados na região de Sirte, uma cidade localizada entre Trípoli e Benghazi, que se transformou em um reduto dos jihadistas no país, informou o Pentágono.

O bombardeio tem como objetivo apoiar os avanços das forças locais e, segundo o porta-voz do Pentágono, Peter Cook, haverá novas operações.

LEIA TAMBÉM:
Estado Islâmico ataca campos de petróleo e de gás no Iraque
EI pune com chicotadas pessoas que têm antena parabólica na Síria
Atentado do Estado Islâmico deixa dezenas de mortos na Síria

“Não acredito ser conveniente detalhar o ritmo dos próximos ataques”, destacou Cook, que, no entanto, revelou que os futuros bombardeios seguirão um “processo de coordenação próxima” com o governo provisório líbio para alvos específicos e serão analisados pela equipe de segurança nacional do presidente Barack Obama. “Os alvos serão aqueles que devem ser atacados com precisão e para minimizar vítimas civis, em locais onde o governo provisório líbio não possa acertar”, explicou Cook.

Continua após a publicidade

O Pentágono afirmou que o ataque de hoje foi autorizado por Obama, após consultar o secretário de Defesa, Ash Carter, e o chefe do Estado-Maior Conjunto, Joseph Dunford. O Departamento de Defesa considerou que essa operação deveria fazer parte da estratégia para derrotar o EI dando apoio aéreo a forças locais aliadas, de modo similar ao que acontece no Iraque e na Síria, onde os bombardeios já estão ocorrendo há quase dois anos.

Cook afirmou ainda que as tropas americanas na Líbia não têm o “papel específico” de apoiar a operação em Sirte, mas que sua presença no país se limita à já anunciada iniciativa de explorar alianças com as diferentes facções leais ao governo provisório.

(Com agência EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.