Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA e Israel tentam resolver divergências sobre Irã nuclear

Casa Branca negou que Obama tenha recusado se encontrar com Netanyahu

Por Da Redação 12 set 2012, 03h28

Em uma conversa telefônica de uma hora de duração na terça-feira, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, reafirmaram o compromisso de evitar que o Irã obtenha uma arma nuclear. A conversa, uma iniciativa do líder americano, buscou apaziguar as divergências entre os dois países sobre a resposta mais apropriada para as pretensões atômicas do regime de Ahmadinejad e aconteceu poucas horas após o premiê israelense criticar a comunidade internacional por “não fixar limites ao Irã”.

Leia também: ‘Israel não pode esperar para agir contra o Irã’, diz premiê

O contato também serviu para amenizar o mal-estar causado depois que o jornal israelense Haaretz noticiou que Obama teria recusado um encontrado com Netanyahu no final de setembro, quando o premiê viajará para Nova York para a Assembleia Geral da ONU. A Casa Branca negou a informação e afirmou que os governantes “simplesmente” não estarão na cidade ao mesmo tempo, acrescentando que Netanyahu se reunirá com outros funcionários americanos durante sua visita, entre eles a secretária de Estado, Hillary Clinton.

Leia também: Ahmadinejad delira: Inimigos ‘roubam’ a chuva do Irã

Há pelo menos um ano, Obama tenta conter um ataque de Israel contra as instalações nucleares iranianas. No mês passado, as pressões tornaram-se mais fortes com a divulgação de um novo relatório pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), segundo o qual o Irã está mais próximo de obter tecnologia para construir uma bomba. O americano defende uma política de sanções contra o regime de Ahmadinejad, enquanto o israelense defende a imposição de limites ao Irã, que se forem ultrapassados merecerão uma resposta militar.

(Com agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade