Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

EUA abrem primeiras salas para consumo de drogas supervisionado

País enfrenta grave epidemia de consumo de opioides, com 100.000 mortos em 2020

Por Ernesto Neves Atualizado em 1 dez 2021, 14h14 - Publicado em 1 dez 2021, 13h04

A cidade de Nova York abriu nesta quarta-feira (1º) duas salas para consumo de drogas injetáveis supervisionada por agentes de saúde. Essa é a primeira iniciativa do tipo nos Estados Unidos.

A medida tem como objetivo conter o aumento de doses por overdose. Entre abril de 2020 e abril de 2021, o país registrou 100.000 fatalidades, crescimento de 28% com relação ao ano anterior.

O departamento de saúde da cidade disse as duas salas se localizam em Manhattan, região central da cidade.

As salas administradas por agentes de saúde e oferecem uma variedade de serviços, incluindo acesso a seringas descartáveis e o descarte do material utilizado.

“Os Centros de Prevenção de Overdose são uma forma segura e eficaz de lidar com a crise dos opioides”, disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio.

Continua após a publicidade

“Tenho orgulho de mostrar às cidades deste país que, após décadas de fracasso na política de drogas, é possível termos uma abordagem mais inteligente”, completou. 

Blasio citou ainda levantamentos que mostram a eficácia destes locais na contenção de overdoses.

O atual mandatário deixa o cargo em janeiro após dois mandatos como prefeito e sempre expressou apoio à política de redução de danos.

O novo prefeito de Nova York, Eric Adams, também expressou apoio ao conceito durante a campanha.

Iniciada de forma pioneira pelo Canadá, a salas supervisionadas também já foram adotadas por outros países da Europa.

Continua após a publicidade

Publicidade