Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em novo filme, comediantes tentam matar Kim Jong-un

James Franco e Seth Rogen são recrutados pela CIA em comédia de ação

O regime brutal de Kim Jong-un está longe de ser engraçado, mas o ditador norte-coreano se tornou o alvo de uma nova comédia cinematográfica americana estrelada pela dupla Seth Rogen e James Franco. No ainda inédito The Interview (ainda sem título definido no Brasil), Franco interpreta o apresentador de um talk show e Rogen é seu produtor. Ao saber que Kim Jong-un é um fã do programa, eles resolvem viajar a Pyongyang para entrevistá-lo. A CIA fica sabendo dos planos e resolve recrutar os dois para matar o ditador.

Leia também:

Coreia do Norte: a nova vilã também em Hollywood

Ex-namorada “fuzilada” de Kim Jong-un reaparece na TV norte-coreana

​Antes de ser um tirano, Kim Jong-un foi garotinho fofo

Coreia do Norte ‘explode’ Capitólio em vídeo de propaganda

O trailer sugere uma mistura de comédia e ação. O ator que interpreta Kim Jong-un é o americano Randall Park (da série Veep), que não parece lembrar muito o rechonchudo ditador.

Reprodução/VEJA

Cartaz do filme The Interview Cartaz do filme The Interview

Cartaz do filme The Interview (/)

Cartaz do filme The Interview

​O filme foi escrito e dirigido por Seth Rogen e Evan Goldberg. Os dois já trabalharam juntos em É o fim (2013), que também contou com a participação de James Franco.

A previsão é que o filme entre em cartaz nos EUA no dia 10 de outubro. A chance de o filme ser exibido na isolada Coreia do Norte, desnecessário dizer, é zero, assim como aconteceu com películas recentes que mostram os norte-coreanos como vilões, como Amanhecer Violento (2012) e Invasão à Casa Branca (2013).

Ser alvo de sátiras não é incomum na família Kim. Kim Jong-il, falecido pai de Kim Jong-un, já havia “estrelado” a comédia Team America: Detonando o Mundo (2004), dirigida por Trey Parker e Matt Stone, os criadores do desenho politicamente incorreto South Park. No filme, uma marionete representando o norte-coreano financiava a rede terrorista Al Qaeda e outros inimigos dos EUA.