Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Em foto chocante, criança segura cabeça decapitada de sírio

Menino é filho de terrorista australiano que passou a integrar as fileiras do EIIL. Premiê da Austrália diz que imagens são prova de 'atrocidades terríveis'

Por Da Redação
11 ago 2014, 10h56

Na foto, o garoto aparece segurando a cabeça de um soldado sírio decapitado. Na legenda, a frase: “Este é o meu garoto”. A imagem assustadora foi publicada no perfil de Khaled Sharrouf no Twitter. Em outras fotos, o terrorista aparece com os três filhos, todos segurando armas, à frente de uma bandeira do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, o grupo que está desintegrando o território iraquiano e espalhando a barbárie.

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse que as imagens são outro exemplo das “atrocidades horríveis” de que os terroristas são capazes. “Vemos cada vez mais evidências do quão bárbara é essa entidade em particular”, disse à imprensa australiana.

Sharrouf foi condenado na Austrália e alegou ser culpado das acusações de terrorismo. Ele fugiu do país no ano passado para se juntar aos jihadistas na Síria e no Iraque. “O Estado Islâmico – como eles estão chamando a si mesmos agora – não é apenas um grupo terrorista, é um exército terroristas que não está em busca apenas de um enclave terrorista, mas de um estado terrorista, de uma nação terrorista”, disse o premiê a uma rádio australiana.

Leia também:

Vídeo: Chefe jihadista usa relógio caro e condena luxo

Papa chora ao saber sobre cristãos crucificados na Síria

Continua após a publicidade

Jihadistas tomam a maior cidade cristã do Iraque

O grupo jihadista está impondo uma selvageria cotidiana em um vasto território entre a Síria e o Iraque, decapitando, crucificando e executando sumariamente os considerados ‘infiéis’. A minoria yazidi é um dos principais alvos do EIIL no norte do Iraque – neste domingo, ao menos 500 pessoas foram mortas e muitas foram enterradas vivas, incluindo mulheres e crianças. Em Raqqa, na Síria, o grupo expôs cabeças de várias vítimas em postes no final de julho – quando também teria sido tirada a foto do filho de Sharrouf, segundo o jornal Sydney Morning Herald.

Armas aos curdos – Os Estados Unidos iniciaram na última sexta-feira uma série de ataques aéreos contra os terroristas, e começaram a fornecer armas diretamente às forças curdas para o enfrentamento, segundo a agência Associated Press, que citou fontes da administração Barack Obama.

Um representante do Departamento de Estado limitou-se a dizer que os curdos estão sendo armados “por várias fontes”, sem negar o envolvimento do governo americano. “Há várias discussões ocorrendo entre vários países. Eles estão recebendo algo rapidamente”, disse.

Os Estados Unidos vinham afirmando que o envio de armas era feito somente para o governo iraquiano em Bagdá, mas a situação mudou depois dos ganhos conseguidos pelos jihadistas nas últimas semanas. As forças americanas estão ajudando a enviar armas dos iraquianos aos curdos, fornecendo assistência logística e transporte para o norte.

Continua após a publicidade

Combates – No domingo, as forças curdas retomaram duas cidades controladas pelo EIIL, ajudadas pelos ataques aéreos realizados pelos EUA na região. As cidades retomadas foram Gwer e Mahmour, ambas localizadas a poucos quilômetros de Erbil. No entanto, na manhã desta segunda-feira, os terroristas tomaram a cidade de Jalawla, 115 quilômetros a nordeste da capital Bagdá. No domingo, um ataque suicida havia matado dez combatentes curdos no local.

Mapa Estado Islâmico do Iraque e do Levante
Mapa Estado Islâmico do Iraque e do Levante (VEJA)
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.