Clique e assine com 88% de desconto

Eleições israelenses devem ser realizadas em 22 de janeiro

Após recesso, dissolução do parlamento terá início na próxima semana

Por Da Redação - 11 out 2012, 19h19

As eleições parlamentares em Israel, que foram antecipadas pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, devem ser realizadas no dia 22 de janeiro. A data ainda não foi anunciada oficialmente, mas pode ser confirmada na próxima semana, quando terá início o processo de dissolução do parlamento.

Netanyahu decidiu mudar a data do pleito, anteriormente previsto para outubro de 2013, alegando falta de acordo em relação ao orçamento para o próximo ano. “Decidi que, para o bem de Israel, é melhor ter eleições o mais rápido possível”.

Saiba mais: Netanyahu convoca eleições antecipadas em Israel

O assessor legal do Parlamento, Eyal Yinón, explicou a uma rádio pública que a lei de dissolução parlamentar deverá ser elaborada no novo período de sessões de inverno, que vai começar na segunda-feira, após um recesso para festividades judaicas.

Publicidade

A tentativa de dissolução anterior foi rejeitada em maio, ocasião em que Netanyahu já tinha pedido uma antecipação das eleições, pois não conseguia maioria no organismo. A iniciativa foi abandonada quando seu partido, o conservador Likud, fez um acordo com o centro-conservador Kadima. A aliança durou apenas dois meses.

Pesquisas – As suspeitas de que o processo eleitoral poderia ser adiantado já vinham de algum tempo, dada a alta popularidade do primeiro-ministro e do partido governista Likud. Sem um rival que ofereça uma clara ameaça e com uma oposição fragmentada, Netanyahu deve garantir um novo mandato aproveitando o bom momento. Alguns nomes apontados em pesquisas como possíveis concorrentes são o da ex-ministra de Relações Exteriores Tzipi Livini e o do antecessor do premiê, Ehud Olmert.

Netanyahu comanda uma coalizão que conta com 66 dos 120 representantes do Parlamento.

Leia também:

Publicidade

Em defesa de Israel (de novo) e até de Netanyahu

Publicidade