Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Duplo tornado’ mata um e fere ao menos 15 nos EUA

Uma cidade inteira teve de ser ser evacuada do estado de Nebraska

Pelo menos uma pessoa morreu nesta segunda-feira e outras 15 ficaram feridas após a passagem de um “duplo tornado” por várias localidades do estado de Nebraska, no Meio Oeste dos Estados Unidos, deixando muita destruição pelo caminho. Por causa dos tornados, uma cidade inteira teve de ser ser evacuada.

O Serviço Meteorológico Nacional dos EUA informou sobre a passagem de dois tornados e o governador de Nebraska, Dave Heineman, acabou declarando estado de emergência. Os feridos foram levados para o hospital Faith Regional Health Services na cidade de Norfolk, disse à rede CNN a porta-voz do centro médico, Jacque Genovese. Os médicos preveem mais pacientes nas próximas horas.

Um dos tornados destruiu mais da metade da cidade de Pilger, que foi totalmente evacuada, afirmou o comissário do condado de Stanton, Jerry Weatherholt, ao jornal local Omaha World Herald.

As autoridades informaram sobre prejuízos materiais em pelo menos quatro localidades do nordeste de Nebraska (Pilger, Wisner, Stanton e Pender) e também na área de Sioux Falls, perto da divisa com o estado de Iowa.

A Defesa Civil de Nebraska está analisando os prejuízos e danos e buscando possíveis vítimas que possam ter ficado presas sob os escombros das edificações. A declaração de emergência do governador permitirá o envio de integrantes da Guarda Nacional na terça-feira para ajudar às equipes de emergência nas buscas por possíveis vítimas e nos trabalhos de limpeza, segundo o jornal de Omaha.

“Foi como se Deus arrastasse dois de seus dedos por toda a terra”, disse à publicação Gregg Moeller, um morador da cidade de Wisner. De acordo com ele, a escola, o banco, a agência dos correios e uma igreja luterana de Wisner sofreram graves prejuízos e nas ruas era possível ver veículos virados e árvores sem folhas. Em Pilger, “não sobrou uma placa com o nome das ruas”, contou o fotojornalista Brian Davidson ao Omaha World Herald.

(Com agência EFE)