Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Condições meteorológicas extremas colocam 6 milhões em risco nos EUA

Tempestades no vale de Ohio e um possível tornado em Indiana também deixaram mais de 700 mil pessoas sem eletricidade

Por Da Redação
26 jun 2023, 15h49

Fortes tempestades no sudeste dos Estados Unidos deixaram mais de 700 mil americanos sem energia na noite do último domingo, 25. Em um cenário mais amplo, de acordo com a emissora CNN, cerca de 6 milhões de pessoas no país estão em risco por conta de condições meteorológicas extremas.

As tempestades se concentraram no vale de Ohio, assim como nos estados do Arkansas, Tennessee e Mississippi. Além disso, autoridades chegaram a revelar uma suspeita de tornado em Bargersville, Indiana, ao sul de Indianópolis, e também houve relatos de chuva de granizo no norte de Kentucky e no sul de Indiana.

+ Onda de calor na Índia deixa quase 100 mortos

No final de semana passado, cerca de 100 mil moradores de Shreveport, Louisiana, ficaram sem energia por causa das tempestades que atingiram a região. Essas pessoas enfrentaram temperaturas de até 41°C sem métodos de resfriamento, como uso de ar condicionado, devido a falta de eletricidade.

Aproximadamente 50 milhões de americanos, incluindo pessoas que vivem nos estados do Arizona, Texas, Louisiana, Oklahoma, Novo México, Arkansas, Mississippi e Tennessee, enfrentaram alertas de calor no domingo. A expectativa dos especialistas é de que as altas temperaturas continuem até o feriado dos EUA de 4 de julho.

Continua após a publicidade

+ Himalaia pode perder 75% do gelo até 2100, diz estudo

De acordo com a Union of Concerned Scientists (UCS), que acompanha os alertas enviados pelo Serviço Nacional de Meteorologia, pelo menos metade da população dos EUA enfrenta um alerta climático extremo desde 1º de maio. Os cientistas estabeleceram uma ligação clara entre a crise climática e os eventos climáticos extremos, considerando que cerca de um a cada 10 alertas têm um sinal claro que os liga à crise.

Uma cúpula de calor se instalou sobre o México e partes do sudoeste dos EUA causada pelo ar quente do oceano que fica preso na atmosfera. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, uma média de 702 mortes ocorrem a cada ano.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.