Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China reclama de “provocação perigosa” do Japão

Segundo Ministério da Defesa chinês, navios e aviões do Japão atrapalharam exercícios militares

O Ministério da Defesa da China informou nesta quinta-feira que apresentou uma queixa diplomática formal contra o que chamou de “provocação perigosa” feita pelo Japão ao monitorar exercícios militares chineses no Oceano Pacífico. O porta-voz do Ministério da Defesa chinês Yang Yujun disse que patrulhas japonesas por mar e ar interromperam um exercício militar chinês na última sexta-feira, sem revelar a localização exata das manobras.

Yang também disse que navios e aeronaves japoneses coletaram informações sobre os exercícios. “Isso não só interfere em nossos exercícios habituais, mas põe em perigo a segurança de nossos navios e aeronaves, que poderiam ter sido levados a um erro de cálculo, contratempo ou outro incidente repentino”, disse Yang em entrevista coletiva.”Essa é uma provocação altamente perigosa, e o Ministério de Defesa da China fez representações formais”, acrescentou ele. Reclamações diplomáticas são normalmente protocoladas pelo Ministério das Relações Exteriores, e a medida incomum do Ministério da Defesa sinaliza a ira dos militares chineses.

Leia também

Incursões marítimas chinesas ameaçam paz, diz Japão

Tensões – Recentemente, o ministro japonês da Defesa, Itsunori Onodera, declarou que as incursões marítimas chinesas nas águas territoriais japonesas em torno das Ilhas Senkaku ameaçam a paz na região. As relações sino-japonesas estão abaladas há meses devido a uma disputa sobre o arquipélago localizado no Mar da China Oriental.

Em setembro de 2012, o Japão comprou as ilhas de proprietário japonês, o que provocou a ira de Pequim e provocou violentos protestos em várias cidades da China. O desabitado arquipélago Senkaku (chamado de Diaoyu pelos chineses) é composto por cinco ilhotas e três rochas. A área é importante rota e habitat de cardumes e por isso é frequentada por navios pesqueiros do Japão. Acredita-se, além disso, que a região na qual se encontram as ilhas possa abrigar grandes reservas de hidrocarbonetos, sobretudo gás.

Os laços diplomáticos também estão afetados por uma recusa do Japão em admitir atrocidades cometidas por seus soldados na China entre 1931 e 1945, quando o Exército nipônico invadiu o território chinês.

(Com agência Reuters)