Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Brasil, EUA e outros 16 países pedem que Hamas liberte todos reféns

Declaração conjunta foi publicada um dia após militantes divulgaram vídeo com israelense-americano sequestrado em 7 de outubro

Por Da Redação
Atualizado em 8 Maio 2024, 12h57 - Publicado em 25 abr 2024, 19h11

Em declaração conjunta, 18 países pediram nesta quinta-feira, 25, para que o grupo palestino radical Hamas liberte reféns que estão em cativeiro desde 7 de outubro, como caminho para encerrar a guerra com Israel. A declaração conjunta é assinada por Alemanha, Argentina, Áustria, Brasil, Bulgária, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Hungria, Polônia, Portugal, Romênia, Reino Unido, Sérvia e Tailândia.

“Apelamos pela libertação imediata de todos os reféns do Hamas, que se encontram detidos em Gaza há mais de 200 dias”, diz o documento. “Entre eles estão os nossos próprios cidadãos. O destino dos reféns e da população em Gaza, que estão protegidos pelo direito internacional, é motivo de preocupação internacional”.

Ainda no texto, os signatários destacam que “o acordo sobre a mesa para a libertação dos reféns permitiria um cessar-fogo imediato e prolongado em Gaza, o que facilitaria o envio de assistência humanitária adicional necessária a toda a Faixa de Gaza e conduziria ao fim crível das hostilidades”. Dessa forma, “os habitantes de Gaza poderiam regressar a suas casas e a suas terras, com preparativos prévios para garantir abrigo e provisões humanitárias”.

O documento também apoia “firmemente os esforços de mediação em curso”, de forma a permitir que os civis retornem para casa e que sejam concentrados “esforços em trazer paz e estabilidade à região. A carta é emitida um dia após os militantes divulgaram um novo vídeo com o israelense-americano Hersh Goldberg-Polin, de 23 anos, sequestrado na rave Universo Paralello. Ele aparece com o cabelo raspado, barba e o braço esquerdo amputado.

“Saí em busca de entretenimento com meus amigos. Em vez disso, me vi lutando para sobreviver com ferimentos graves por todo o corpo”, relembrou, mostrando o braço amputado. No vídeo de quase três minutos, ele pede que o governo israelense auxilie na soltura dos reféns.

Continua após a publicidade

+ Hamas pode se desarmar por criação de Estado palestino, diz líder

Sem chance

O líder sênior do Hamas, Sami Abu Zuhri, afirmou à agência de notícias Reuters que a declaração não influenciaria os planos do grupo. Ele acrescentou que “a bola agora está no campo americano”, instando os EUA a convencerem Israel — a quem o presidente Joe Biden estendeu “apoio sólido como uma rocha e inabalável” após os ataques de 7 de outubro — pelo fim da agressão à Faixa de Gaza.

Mais de 34 mil palestinos e 1.200 israelenses foram mortos desde a eclosão do conflito, há seis meses. Estados Unidos, Catar e Egito pressionam por um pacto que permita a libertação dos cativos e um novo cessar-fogo. Mas o porta-voz de Israel, David Mencer, disse nesta quinta-feira que o Hamas se afastou “de qualquer acordo potencial, apesar de Israel ter realmente feito esforços extremos para tentar levar o nosso povo para casa”. A última e única pausa nas hostilidades, realizada entre novembro e dezembro do ano passado, permitiu a soltura de 105 cativos pelo Hamas e por 240 palestinos detidos em prisões israelenses.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.