Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Biden promete vacina para todos os adultos dos EUA até o fim de maio

Presidente americano fechou acordo com a farmacêutica Merck para a fabricação do imunizante da Johnson & Johnson

Por Da Redação Atualizado em 3 mar 2021, 15h11 - Publicado em 3 mar 2021, 08h31

O presidente americano, Joe Biden, prometeu nesta terça-feira 2 que os Estados Unidos terão vacina contra a Covid-19 suficiente para todos os adultos no país até o final de maio, dois meses antes do previsto anteriormente.

Biden assumiu o novo compromisso após anunciar um acordo para que a farmacêutica Merck (conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá) contribua para a fabricação do imunizante da Johnson & Johnson, que foi aprovada neste fim de semana e é a terceira vacina disponível nos Estados Unidos. Há três semanas, o chefe de governo americano havia prometido 300 milhões de doses da vacina contra a Covid – suficientes para imunizar toda a população adulta – até o final de julho, um volume que agora esperam ter disponível dois meses antes.

Biden também anunciou que será dada prioridade aos educadores e funcionários das escolas e creches do país para que possam receber pelo menos uma dose antes do final de março, uma vez que eles devem ser tratados como “pessoal essencial”.

O presidente destacou que sua equipe vem progredindo após, segundo ele, ter herdado “um caos” do governo anterior, de Donald Trump, que não tinha um plano claro para combater a pandemia nem para distribuir vacinas de forma eficiente e rápida.

A Casa Branca anunciou hoje que, com a adição do imunizante da Johnson & Johnson à lista de vacinas licenciadas pela Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA), pode se comprometer a aumentar o fornecimento aos estados para mais de 15 milhões de doses por semana.

Além disso, a vacina da Johnson & Johnson requer apenas uma dose e não exige temperaturas tão extremas quanto as outras duas alternativas, da Pfizer e da Moderna, tornando a logística de administração do soro mais fácil.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade