Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bachelet diz que Dilma prova que mulher ‘é mais do que rostinho bonito’

Brasília, 15 dez (EFE).- A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira a diretora-executiva da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, quem mais uma vez comemorou o fato de a primeira economia da América Latina estar no comando de uma mulher.

‘Nós mulheres somos muito mais do que um rostinho bonito e um belo corpo’ e Dilma é prova disso, disse Bachelet aos jornalistas após o encontro das duas no Palácio do Planalto, em Brasília.

Bachelet, quem também foi a primeira mulher a comandar o Chile, destacou que ela e Dilma têm histórias de vida parecidas, elas enfrentaram o rigor de ferrenhas ditaduras e cresceram ‘sem imaginar’ que um dia poderiam chegar ao poder.

‘Há três décadas, em momentos de extrema dificuldade’ para as democracias sul-americanas, ‘a presença de mulheres em altos cargos era um sonho, mas nesta quinta-feira, como diz Dilma, está claro que nós também podemos’, afirmou.

Bachelet avaliou as políticas definidas por Dilma em apoio às mulheres e sustentou que os programas econômicos e sociais não são suficientes para garantir uma sociedade mais igualitária.

‘As políticas públicas precisam ter uma especificidade de gênero, porque de outro modo o resultado não garante todos os direitos’, apontou.

Durante a reunião, Bachelet entregou a Dilma uma cópia do relatório ‘Proteção social para uma globalização equitativa e inclusiva’, elaborado por equipes da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), que foram coordenados pela ex-presidente chilena.

O estudo sustenta que no mundo cerca de 5,1 bilhões de pessoas precisam de uma melhor proteção social e somente 15% dos desempregados tem acesso à assistência estabelecida pelos planos para os que precisam de trabalho.

Como explicaram fontes da ONU, o relatório foi apresentado oficialmente durante uma reunião de ministros de Trabalho do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países ricos e os principais emergentes) em setembro em Paris, e os representantes das principais economias do mundo concordaram estudar alternativas para melhorar essa situação.

Após o encontro com Dilma, Bachelet deve viajar ao Rio de Janeiro, onde nesta sexta-feira visitará a comunidade do Cantagalo para conhecer projetos sociais que atendem mulheres.

Como informou a ONU Mulheres, no Cantagalo ela vai se reunir com cerca de cem líderes comunitárias que participam ativamente dos projetos e ver outras iniciativas dirigidas às crianças.

Estão previstas reuniões com autoridades locais e uma visita ao Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil, onde são formados os soldados brasileiros que participam das missões da ONU no mundo. EFE