Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Autoridades negam que assassino de Toulouse tenha sido preso no Afeganistão

Por Da Redação 22 mar 2012, 08h30

Cabul, 22 mar (EFE).- O suposto assassino de sete pessoas em Toulouse e região (sul da França) não esteve preso no Afeganistão, como afirmou um responsável penitenciário afegão, disse nesta quinta-feira à agência Efe um porta-voz da província meridional de Kandahar, Zalmai Ayubi.

Ayubi atribuiu o erro a uma confusão entre os nomes do suposto assassino, Mohammed Merah, e de outra pessoa chamada Mir que passou pela prisão afegã.

‘Um tal Mohammed Mir esteve preso em 2007 na prisão provincial por ter laços com os talibãs’, afirmou.

Na quarta-feira, o diretor da prisão central de Kandahar, Ghulam Farouq, disse que havia ‘constância documental’ de que o jovem francês de origem argelina tinha ingressado na prisão em 2007 por colaborar com a insurgência e posteriormente teria fugido.

O escritório do governador de Kandahar já emitiu na quarta-feira à noite uma nota desmentindo a informação, na qual afirmava que ‘nos últimos dez anos’ nenhum cidadão francês chamado Mohammed Merah esteve na prisão da cidade mais importante do sul do Afeganistão.

Merah, suposto autor da morte de sete pessoas nos últimos dias, se encontra desde quarta-feira cercado pela Polícia francesa em Tolouse, mas as autoridades sugeriram nas últimas horas que ele poderia estar morto.

‘Todas as hipótese são contempladas. Temos uma prioridade, de entregá-lo à justiça, e para isso detê-lo vivo. Esperamos que continue vivo’, declarou o ministro de Interior francês, Claude Guéant, em entrevista à emissora de rádio ‘RTL’. EFE

Continua após a publicidade

Publicidade