Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Os melhores botecos de Salvador

Eis um roteiro para nenhum botequeiro colocar defeito

Por Ana Geisa Lima, Camila Botto, Joana Maltez, Maiana Brito e Marília Simões 29 nov 2018, 12h37

Quintal do Raso da Catarina – 1º lugar

O estabelecimento com mesas ao ar livre e que homenageia um dos destinos mais áridos da Bahia hidrata muito bem sua clientela. Para fãs de caipirinha, o bartender prepara variações com graviola, cupuaçu, mangaba, kiwi, umbucajá e limão com rúcula. Se for feita com a cachaça Serra das Almas, produzida na Bahia, custa R$ 20,00 cada uma. As geladeiras de cerveja estocam rótulos da marca ribeirão- pretana Colorado, a exemplo da porter Demoiselle (R$ 20,00, 600 mililitros), e de concorrentes conhecidas como Heineken e Serramalte (R$ 11,90 cada uma, 600 mililitros). Uma cristaleira antiga abriga mais de 200 rótulos de cachaça, da gaúcha Weber Haus Black (R$ 25,00 a dose) à incensada Ouro Mineiro, vendida pelo mesmo preço e produzida no município de Papagaios, em Minas Gerais. Convém maneirar nos pedidos etílicos, já que para chegar e sair do boteco é preciso vencer uma escadinha não muito amiga revestida com pedaços de azulejos dos mais variados tipos. A mesma estética colorida está impressa nos cardápios, cada um deles encapado com recortes diferentes, e até na árvore que salta aos olhos no meio do quintal, cujo tronco é decorado com flores feitas com tampinhas de garrafa PET. Para mastigar, são os escondidinhos, como o de carne de sol (R$ 45,00, para duas pessoas), que mais têm saída. Outra boa escolha, o baião verão leva feijão-fradinho cozido com queijo de coalho e carne de sol (R$ 38,00, para duas pessoas). Avenida Sete de Setembro, 1370, Campo Grande, ☎ 98842-0588 (200 lugares). 17h/23h (qui. até 0h; sex. e sáb. até 0h30). Aberto em 1976.

Bagacinho

Num ambiente despretensioso, com a maioria das mesas do lado de fora, o bar surpreende pela oferta de cervejas especiais. Não há carta fixa: o que os donos sugerem é que o cliente entre, abra a geladeira e pince dali a garrafa que lhe chamar a atenção. Na ala dos comes, a suruba de carnes no lençol de queijo (R$ 45,00 para três pessoas), com filémig non, filé de frango, calabresa na chapa, mussarela e cebola, figura nas paradas de su cesso. Pedida mais leve, a salada de aratu (R$ 39,00, para dois apetites) harmoniza bem com a IPA de goiaba, da cervejaria Barco (R$ 28,00, com 600 mililitros). Rua Comendador Bernardo Catarino, 171, loja 15, Barra, ☎ 99264-7540 (60 lugares).16h/0h (sáb. 12h/23h; dom.12h/18h). Aberto em 2012.

Bão Petiscaria

Tem como carro-chefe o exibidinho de carne de sol, com purê de aipim e queijo de coalho (R$ 34,90). Novidade, a tábua sertaneja, boa para repartir, traz carne de sol, fumeiro, frango à passarinho, queijo de coalho à milanesa e farofa (R$ 89,90). A carta de bebidas, além das cervejas, lista opções como o splash bão, com espumante e licor (R$ 29,00). Tem música ao vivo às sextas (MPB) e aos sábados (sertanejo). Rua Manoel Joaquim Alves, 314, Stiep, ☎ 99132-8925 (120 lugares). 11h/0h (dom. 11h/22h: fecha seg.) Rua Odilon Santos, 14, Vila 14, Rio Vermelho, ☎ 99132-8925 (70 lugares).18h/6h (fecha seg.). Aberta em 2016.

Bar do Ney

É mais conhecido como “point do bode”, já que as receitas com a carne desse animal são o ponto forte do cardápio do bar. O filé de bode assado na brasa (R$ 54,90, com meio quilo) chega à mesa acompanhado de farofa d’água ou de feijão tropeiro com vinagrete e arroz. Quem prefere não sair do trivial aposta na carne de sol (R$ 43,00) com cebola-roxa, manteiga e aipim, ou em beliscos como codorna (R$ 11,00), coxa de frango (R$ 4,50) e queijo de coalho (R$ 17,00). Tudo isso, claro, regado a cervejas de garrafa — a Itaipava Premium sai por R$ 10,50. Rua Mato Grosso, 6, Pituba, ☎ 98837-1693 (50 lugares). 11h30/15h (qua. e qui. também jantar 18h/22h; sex. até 23h; sáb. até 21h; fecha dom. e seg.). Aberto em 2003.

Bar do Ulisses

As mesas mais concorridas ficam na varanda, que tem vista para a Baía de Todos-os-Santos. Recentemente, a carta de drinques ganhou dez opções, incluindo o clássico negroni (R$ 23,00) e o uísque sour, com suco de limão, açúcar e gelo (R$ 18,00). Para petiscar, aposte na casquinha de siri (R$ 31,00). Com mais fome, vale pedir o peixe vermelho frito guarnecido de farofa e salada (R$ 41,00). Sexta e sábado tem música ao vivo a partir das 20h (R$ 6,00 o couvert artístico). Rua Direita de Santo Antônio, 541, Santo Antônio, ☎ 3014-0130 (150 lugares). 11h30/23h (dom. e feriados 11h30/17h; fecha seg.). Aberto em 1962.

Boteco do França

Em recente reforma, o bar ganhou um segundo piso climatizado com vista para o mar. Enquanto beberica cervejas, como a Colorado Cauim (R$ 25,00, com 600 mililitros), que leva mandioca na receita, o cliente escolhe entre a carne de sol com farofa de banana e o filé aperitivo ao vinho tinto (R$ 55,00 cada um) para petiscar. Para uma refeição completa, há o camarão ao pomodoro, empanado e gratinado ao forno com molho rosé e servido com arroz de ameixa (R$ 110,00, para duas pessoas). Rua Borges dos Reis, 24, Rio Vermelho, ☎ 3334-2734 (260 lugares). 12h/1h (qui. a sáb. até 4h). Aberto em 2000.

Boteco da Mídia

Feita com esmero, a comida é o diferencial da casa. Não deixe de provar a carambretada, um cozido de caranguejos e lambretas (R$ 50,00, para duas pessoas) que pode ser pedido com pirão cobrado à parte (R$ 7,00). A brusqueta de coração de codorna com molho da casa (R$ 25,00) também é boa opção. Além das cervejas, o cardápio sugere drinques inventivos, como o de frutas tropicais com uísque (R$ 17,00). Rua Nadir Mendonça, Jardim Imperial, 16, Pituaçu. ☎ 3018-4722 (60 lugares). 16h/0h (sáb. 14h/23h; dom. 12h/ 20h; fecha seg.). Aberto em 2013.

Botequim

Como todo botequim que se preze, o local oferece boas opções de petisco para forrar o estômago entre um gole e outro de cerveja. Novidade, a costela suína flambada no conhaque é incrementada com molho de tamarindo e servida com pão fresco fatiado e salada de tomate, manjericão e azeitonas (R$ 34,00). A cozinha também prepara o polvo na chapa ao molho de manteig a (R$ 60,00). Da carta de drinques, a roska batizada com o nome da casa é feita com água de coco, morango e hortelã (R$ 15,00). Rua Clara Nunes, 387, Centro Comercial Aquarius, Pituba, ☎ 98216-7500 (140 lugares). 16/0h (sáb. 9h/2h, dom. 10h/18h; fe cha seg.). Aberto em 2000.

Caranguejo do Pascoal

Improvisado num espaço onde seria a g aragem do imóvel, o simpático bar tem cardápio de comes caprichado, com destaque para a frigideira de caranguejo (R$ 30,00), que chega à mesa acompanhada de arroz de coco, feijão-fradinho e farofa de dendê. A carta de roskas lista quinze variações, entre elas a de frutas vermelhas e cítricas (R$ 13,00 cada uma). De sobremesa, peça o sorvete de manjericão (R$ 5,00 a bola). Rua Olhos d’Água, 128, Itapuã, ☎ 3249-4360 (100 lugares), 17h/23h (sáb. e dom. 11h/23h; fecha seg. e ter.). Aberto em 1994.

Cervantes

É um boteco de alma espanhola — e o cardápio tem sotaque carregado, repare. Na ala dos beliscos, as tapas de jamón Serrano (R$ 35,00) e a porção de chipirones (minilulas em sua tinta, servidas com fatias de pão; R$ 50,00) são novidade. Entre os pratos tradicionais da casa, a paella valenciana traz o arroz combinado a frango, carne de porco, chouriço, costela e legumes. Custa R$ 40,00 a porção individual e pode ser harmonizada com o vinho tinto chileno G7 Cabernet Sauvignon 2016 (R$ 48,00), segundo o chef Benjamin Mendonza. Rua Forte de São Pedro, 64, Campo Grande, ☎ 3014-5963 (48 lugares). 9h/21h (fecha seg.). Aberto em 1978.

Confraria do França – 2º lugar

Com vista para a praia do Rio Vermelho, o bar é onde a boemia soteropolitana se encontra para devorar a famosa casquinha de siri (R$ 15,00) acompanhada de cerveja Heineken (R$ 13,00, com 600 mililitros) trincando. A porção de bolinhos de bacalhau (R$ 42,00, com seis unidades) também faz sucesso. Na carta de drinques, as roskas (R$ 14,00, se feitas com vodca nacional) também são ótima pedida — pergunte ao garçom quais as frutas da estação. As mesas mais concorridas ficam ao ar livre, mas há também salão climatizado. Travessa Lydio de Mesquita, 43, Rio Ver melho, ☎ 3565-3700 (140 lugares). 11h30/0h (sex. e sáb. até 2h; dom. 11h30/18h; fecha seg.). Aberto em 2012.

Cravinho

Um dos clássicos do Pelô, com quase quarenta anos de tradição, o bar todo decorado em madeira tem tonéis de cachaça espalhados por todos os lados. É que ali a bebida envelhecida e infusionada é a estrela da casa e aparece em mais de trinta variações, todas vendidas por R$ 4,00 a dose. A cravinho, uma das mais pedidas, combina cachaça, cravo, mel e limão. Já a jatobá traz cachaça descansada nessa madeira mais mel e limão. Para petiscar, aposte de moela com molho lambão e farofa ou pão (R$ 28,00). Quem não é fã de miúdos pode optar pela porção de camarão pistolinha (R$ 35,00). Praça Quinze de Novembro, 3, Terreiro de Jesus, ☎ 3322-6759 (130 lugares). 11h/22h. Aberto em 1980.

Di Janela

Continua após a publicidade

Tradicional no bairro da Saúde, o bar se destaca pelos pratos com frutos do mar feitos por Nana Amaral. No salão ou nas mesinhas dispostas na calçada, peça o camarão na cachaça, servido com chips de alho-poró (R$ 52,00). Para uma refeição reforçada, a feijoada de frutos do mar leva feijão-branco, camarão, lula, mexilhão e filé de peixe e chega à mesa guarnecida de arroz e farofa. Custa R$ 70,00 e satisfaz duas pessoas. A dose da cachaça baiana Serra das Almas é servida com frutas da época, como caju (R$ 9,00). Rua da Glória, 9, Saúde, ☎ 99237-7717 (60 lugares). 11h30/15h e 18h/22h (sáb. 12h/20h; dom. 12h/17h; fecha seg.a qua.). Aberto em 2013.

Espaço Cultural D’Venetta

As afinidades de Dora Souza pela cozinha, e de Ademir pelas bebidas alcoólicas artesanais renderam a abertura deste bar instalado em um charmoso casarão. Na carta, as cachaças marcam presença com mais de 150 rótulos — a de jambu, feita no Pará e que adormece a boca, sai a R$ 10,00 a dose. Quem é de cerveja não pode deixar de provar o chope (R$ 12,00), produzido no próprio estabelecimento. Para comer, escolha entre a maniçoba (R$ 42,00) e a galinha caipira com arroz e pirão (R$ 55,00), ambos em porção para duas pessoas. Rua dos Abôdes, 12, Santo Antonio Além do Carmo, ☎ 3243-0616 (150 lugares), 18h/0h (sáb.12h/0h; dom. 12h/18h; fecha seg. e ter.) Aberto em 2009.

Feijão da Fará

Famoso na capital soteropolitana, o feijão da dona Faraildes Ferreira atrai a clientela até Santa Mônica. Pois o carro-chefe é servido com carne de sertão, calabresa e mocotó — a porção para uma pessoa custa R$ 30,00 e a maior, para duas, sai por R$ 50,00. Caso queira, o cliente pode pedir salada ou arroz à parte (R$ 6,00 cada guarnição). Boa para petiscar, a porção de costelinha de porco com farofa de manteiga (R$ 12,00 para dois) é dobrada de segunda a quarta — ou seja, o cliente pede uma e leva duas. Arremate com Itaipava Premium ou com Devassa Puro Malte (R$ 10,00, com 600 mililitros). Rua Doutor Aristides de Oliveira, 1185, Santa Mônica, ☎ 3386-6364 (70 lugares). 7h/16h (sáb. 6h/16h30; fecha dom.). Aberto em 1989.

Habeas Copus

É ponto de encontro da boemia soteropolitana na Barra, principalmente no Carnaval. O cardápio lista porções populares em botecos, como a moela ensopada, que chega à mesa escoltada por pão francês (R$ 36,90), e o bacalhau servido com farofa de manteiga (R$ 42,90), feito desde a abertura da casa. Para molhar o bico, escolha entre o chope Devassa (R$ 7,90) e caipiroska de fruta da estação (R$ 13,50, se feita com vodca nacional). Mesas dispostas na calçada acomodam a clientela. Avenida Almirante Marques de Leão, 172, Barra (36 lugares). Não tem telefone. 11h/2h (fecha dom.) Aberto em 1976. $$

Jô da Bahia

Afastado do burburinho da Pituba ou do Rio Vermelho, o bar do carismático Jomar Garcia (o Jô da Bahia, como é mais conhecido) atrai clientela em busca dos pratos com frutos do mar preparados com esmero. Na bem servida moqueca bruno jacob, polvo e camarão são cozidos com água de coco, suco de laranja, pimenta-biquinho e brócolis (R$ 170,00, para quatro pessoas). Para molhar o bico, a roska de picolé capelinha leva frutas da época (R$ 15,00) — são grandes as chances de encontrar cajá, umbu, morango e coco. Rua Professor Francisco Góes Calmon, 50, São Caetano, ☎ 99109-8481 (12 lugares). 18h/23h (sáb. a partir das 12h; fecha seg.). Aberto em 2002.

Mabariscada

O nome do lugar é uma junção de Mabaço de Baixo — como é chamada a área onde fica o estabelecimento — com mariscada, carro-chefe do lugar. O prato custa R$ 45,00, para dois, e é feito com purê de batata e camarão flambado no conhaque. A dose da cachaça Terra Brasilis (R$ 5,50) pode abrir o apetite. Entre as cervejas, figura a Black Princess (R$ 17,00, com 600 mililitros), de Teresópolis. Rua Baptista Machado, 89, Plataforma, ☎ 3043-0075. 11h/17h (qui. a sáb. até 23h). Aberto em 2015.

Mocambinho

Singelo, tem apenas quatro mesas no salão interno; as demais ficam espalhadas na calçada em frente. Nessa atmosfera despretensiosa, escolha um entre os mais de 200 rótulos de cachaça expostos e arremate uma dose para abrir os trabalhos. A Dama da Noite (R$ 8,00), descansada em barril de jatobá, e a de jambu (R$ 12,00), da Amazônia, são boas pedidas. Entre os comes, o filé-mignon com mel e alecrim é servido com torradas na manteiga de garrafa (R$ 36,00, para dois). Rua da Faísca, 12, Dois de Julho, ☎ 3178- 1065 (60 lugares), 18h/1h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2007.

Pedra Furada

Bem pertinho de um dos principais pontos turísticos da cidade, a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, o local vive apinhado de turistas que, enquanto devoram uma porção de lambretas (R$ 20,00 a dúzia), apreciam a vista para o mar que desemboca na Ilha de Itaparica. Os pratos com frutos do mar são o ponto forte da cozinha. A moqueca de lagosta chega à mesa acompanhada de arroz, pirão e farofa. Custa R$ 110,00 e serve até três pessoas. Para molhar o bico, há roska de cajá com vodca Absolut (R$ 15,00). Rua Rio Negro, 35, Monte Serrat, ☎ 3316-0826 (120 lugares). 10h/18h (fecha seg.). Aberto em 1990.

Platô

Ao ar livre, sob a copa de mangueiras centenárias, prove o polvo na chapa feito com tomate, pimentão e brócolis (R$ 78,00). Outro prato bastante requisitado por ali é o furacão baiano, que lembra um escondidinho com carne-seca desfiada, purê de banana-da-terra e queijo de coalho (R$ 48,00). Para refrescar, além das cervejas, há as roskas com frutas da estação (R$ 16,00). Rua Plínio Moscoso, 25, Jardim Apipema, ☎ 3015-8059 (200 lugares). 16h30/0h (qui. até 1h; sex. e sáb. até 2h; dom. 12h/22h). Aberto em 2008.

Porto Caymmi

Estrela do cardápio, o camarão crocante consiste em filé de camarão empanado na farinha panko (R$ 30,00). A cozinha também prepara pratos mais reforçados, caso do peixe vermelho frito guarnecido de farofa e salada vinagrete (R$ 70,00) e da moqueca de camarão servida com arroz, farofa e pirão (R$ 89,00). Os dois últimos satisfazem até três apetites. Para beber, as cervejas mais pedidas são a Original (R$ 12,00) e a Devassa Puro Malte (R$ 10,00), ambas em garrafas de 600 mililitros. Praça Brigadeiro Faria Rocha, 237, Rio Vermelho, ☎ 3334- 4352 (150 lugares). 12h/1h (fecha seg.). Aberto em 2009.

Recanto Tia Maria

No cardápio, quem manda é o mar, já que a oferta de pratos depende da disponibilidade de pescados frescos. A lagosta grelhada (R$ 50,00, para dois) é cobiçada entre a clientela, assim como o caprichado peixe vermelho servido com arroz, farofa e vinagrete. Esse último custa R$ 80,00 e satisfaz até três pessoas. Na happy hour, o bolinho de bacalhau (R$ 27,00, oito unidades) vai muito bem com a cerveja Eisenbahn (R$ 10,00, com 600 mililitros). Avenida Constelação, 213, Pedra Furada, Mont Serrat, ☎ 3312-1746 (20 lugares), 10h/18h (fecha seg.). Aberto em 1983.

Sabor Regional

Entre as opções de prato, o oxe vai dar bode intercala camadas de filé de bode, queijo de coalho e banana-da-terra e chega à mesa escoltado por creme de aipim e salada de feijão-verde (R$ 33,90, para dois). Como petisco, a clientela assídua não abre mão das coxinhas feitas com diferentes recheios. As de maior saída levam frango com catupiry, carne de sol com mussarela, fumeiro com banana-da-terra e bode com queijo de coalho (R$ 4,50 a R$ 8,50, dependendo do sabor). Para beber, escolha entre as roskas de açaí e de cupuaçu (R$ 14,00 cada uma). Avenida Leovigildo Filgueiras, 515, Garcia, ☎ 98847-1878 (48 lugares). 12h/21h (fecha dom.). Aberto em 2010.

Velho Espanha Bar e Cultura – 3º lugar

O cardápio do bar homenageia as ruas e re giões do centro histórico de Salvador. O prato alegria dos barris combina carne de fumeiro com purê de banana-da-terra. Custa R$ 36,90, para duas pessoas. Outra opção para compartilhar é o escondidinho dique do tororó, com brócolis (R$ 34,90), sucesso entre os vegetarianos. O buraco quente (R$ 14,90), pão sem miolo e recheado com carne desfiada e queijo, é boa pedida para devorar entre goles da cerveja Colorado (R$ 26,00, 600 mililitros), com toque de rapadura. Rua General Labatut, 38, Barris, ☎ 3043-7481 (100 lugares). 15h/0h (sáb. e dom. 10h/1h). Aberto em 2017. $$

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)