Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conheça os melhores botecos para curtir em Goiânia

Com diferentes receitas e horários de funcionamento, os botecos são ótimas pedidas para à noite

Por Daniella Barbosa, Eula Lôbo, Thalys Alcântara, Taynara Borges e Thiago Rabelo - 14 Jan 2019, 23h58

Gloria – 1º lugar 

Eis um lugar para quem gosta de futebol e de música popular brasileira, como atestam as paredes apinhadas de referências aos dois temas. Há quadros com fotos de Pelé, retratos de João Gilberto e Araci de Almeida, caricatura de Tim Maia e capas de discos de Jorge Ben Jor e Adoniran Barbosa. Torcedores do Goiás se sentem em casa. Louvado em diversas plaquetas, é o time de um dos donos, Elmar Santana Junior. Torce para o Atlético? Pode ir sem medo, porque esse é o clube dos outros dois proprietários, que não moram em Goiânia (o trio, também dono do bar paulistano São Cristóvão, repleto de referências futebolísticas, leva as diferenças em campo na esportiva). Trajando camiseta que imita um smoking, com gravataborboleta e tudo, os garçons não se cansam de trazer o chope Brahma (R$ 9,20, 300 mililitros) e os da casa, feitos pela cervejaria Colombina — o pilsen Gloria Pils (R$ 9,20, 300 mililitros) e o session IPA Gloria Little (também R$ 9,20). Entre os novos drinques, chamam atenção o tropical mule, união de vodca, abacaxi, laranja, limão e espuma de gengibre, e o mediterranium, feito com vodca, tangerina, suco de limão, vermute Noilly Prat e Angostura (R$ 25,00 cada um). Para fãs de uísque, a dica é o cocktail tennessee sunset, calibrado com Jack Daniel’s, suco de laranja, limão e grenadine (R$ 25,00). Para mastigar, a clientela segue fiel a clássicos como bolinho de bacalhau (R$ 36,00, seis unidades) e escondidinho de carne de sol (R$ 22,00). Esse último, aliás, ganhou há pouco uma versão vegana, com shiitake e shimeji (R$ 22,00). Acompanhada de arroz, a minibacalhoada (R$ 78,00), com ovo cozido, couve, azeitonas, cebola e tomatinhos, é o prato preferido para uma refeição propriamente dita. Outras pedidas sem erro? Filé à oswaldo aranha (R$ 58,00) e filé-mignon com molho de mostarda de Dijon (R$ 58,00). Aos sábados, a tradicional feijoada à la carte (R$ 45,00 a pequena) é embalada por uma roda de samba. O dia de maior movimento? A segunda, quando até a rua costuma ficar lotada de clientes, provavelmente pela falta de bares abertos nesse dia. Rua 101, 435, Setor Sul, ☎ 3224-9033 (172 lugares). 17h30/1h (seg. a sex.; sáb. e dom. a partir 11h30). Aberto em 2004.

Bar da Tia, Tio e Primo

Com uma fórmula bem simples de funcionamento, serve cervejas e lanches para os estudantes do Setor Universitário. No cardápio de petiscos, tem bom custo-benefício o pastel de R$ 1,00 a unidade, com recheio de carne, queijo ou misto. Os sanduíches também agradam aos jovens, como o sanduba do bar da tia, com tempero da casa, recheio de carne moída, cebola, tomate e maionese verde, no pão francês (R$ 5,00). Para beber, são 22 tipos de cerveja. Os preços variam de R$ 6,00 (a carioca Lokal) a R$ 22,00 (a paulista Baden Baden). Praça Universitária, Setor Leste Universitário, ☎ 99482-0183 (300 lugares). 10h/22h30 (qui. e sex. até 0h; sáb. até 20h; fecha dom.). Aberto em 1985.

Bar do Piry

Os jovens frequentadores adotaram o bar que seus pais frequentavam, também levados pelos próprios pais. Ou seja, a casa se mantém em alta há gerações. Seus pratos e petiscos são famosos, a exemplo da rabada cozida no caldo de carne e legumes (R$ 24,90) e do bolinho de arroz com queijos coalho e canastra, recheado de linguiça de Trindade e com um molho levemente apimentado de maçã e goiabada (R$ 21,90). As cervejas Amstel e Heineken são as mais procuradas (R$ 8,90 e R$ 11,90, respectivamente). Avenida C-1, 510, Jardim América, ☎ 3251-5697 (280 lugares). 11h/1h (sáb. e dom. até 1h30). Aberto em 1978.

Bar Dodô

Continua após a publicidade

Há quatro décadas uma referência em boteco em Goiânia, seguiu forte mesmo após a morte de Seu Dodô, em 2013. O filho, que também herdou o apelido, administra o bar desde a década de 1980 e manteve a comida caseira, apesar de não se fechar a novidades. Uma das mais recentes é o petisco vão-se os dedos e ficam os anéis, rodelas de lula com queijo frito (R$ 29,90) acompanhadas de geleia de pimenta. Outra boa pedida é a rabada, que custa R$ 19,00 e vem com mandioca. A Brahma de litro sai por R$ 8,00. Rua Horizonte, 160, Quadra B, Lote 8, Setor Aeroviário, ☎ 3095- 1181 (160 lugares). 17h/0h (sáb. a partir das 11h; fecha dom.). Aberto em 1967.

Boteco Posto 15 – 3º lugar

Ao som de pop rock, o bar se firmou como alternativa às casas de sertanejo. Um dos petiscos preferidos é o salve jorge (R$ 59,00), de iscas de filé com queijo de coalho, ovo de codorna, calabresa, tomate, cereja e palmito nos molhos rosé e mostarda. Para beber, a sugestão é um drinque com gim, refrigerante cítrico e lima-da-pérsia (R$ 22,00). Além da tradicional cerveja, como Eisenbahn, Original e Heineken, de R$ 12,95. Rua 15, 1896, Setor Marista, ☎ 3931-0909 (240 lugares). 18h/1h (qui. e sex. até 2h; sáb. 12h30/3h; dom. a partir das 15h30). Aberto em 2009.

Cantinho Frio

Com três décadas nas costas, o bar surpreende pelas ações inovadoras. Em 2017, foi lançado um aplicativo próprio que oferece aos clientes descontos de até 50% em itens do cardápio. Já são cerca de 33 000 usuários. Entre os petiscos mais populares, estão o quadradinho de queijo — que leva cubos de queijo de coalho frito, mandioca frita e contrafilé acebolado em uma generosa porção de 1,3 quilo (R$ 54,90, para três pessoas). Outro achado é o camarão empanado na farinha de trigo (R$ 69,90, para três pessoas). Para acompanhar, costumam sair chopes Brahma, pilsen e black, ou o Colorado, recém-incorporado ao cardápio (R$ 11,80 cada um). Rua 228, 53, Quadra 42-A, Lote 33, Setor Leste Universitário, ☎ 3202-4831 (594 lugares). 11h/14h30 e 16h/1h (sáb. e dom. sem intervalo). Aberto em 1988.

Carne de Sol do Serginho

A carne de sol angus (R$ 50,00, para quatro pessoas), petisco que dá nome ao boteco, é assada na brasa com manteiga do sertão, servida inteira e cortada na mesa. O mesmo vale para o segundo carro-chefe, a costelinha de porco (R$ 50,00, para quatro pessoas). Ambas têm a opção de porções menores e podem ser acompanhadas de arroz, feijão-tropeiro, mandioca e torresmo. Para beber, os clientes costumam ir de Antarctica Original ou Heineken (R$ 10,00 cada uma). Rua do Comércio, 615, Setor Campinas, ☎ 98405-7863 (120 lugares). 16h/0h (sáb. 10h/18h; fecha dom.). Aberto em 1989.

Continua após a publicidade

Cervejaria Mangueiras

De um ano para outro, a atenção dos fregueses salta de um item para outro. Mas todos levam um ingrediente em comum: a carne serenada de angus. A torre do sertão (R$ 59,90, para quatro pessoas) consiste em uma pilha de tiras rodeada por mandioca temperada com um mix de ervas e pedaços de bacon. Para beber, a caneca de chope Colorado (R$ 12,90, 355 mililitros) ou Brahma (R$ 11,90, 355 mililitros) é servida em dobro todos os dias, nos horários de promoção. A casa ainda conta com uma brinquedoteca e serviço de babá. Avenida R-11, 895, Setor Oeste, ☎ 3252-1305 (560 lugares). 16h/1h (sáb. abre 11h; fecha dom.). Aberto em 1986.

Churrasquinho do Dedé

Com uma clientela fiel, o bar funciona em frente a uma praça, onde as mesas ficam espalhadas sob a copa de mangueiras. O cardápio alterado recentemente incluiu a porção de pasteizinhos de bacalhau (R$ 26,90, oito unidades). A especialidade ainda são os espetinhos. Os de língua bovina (R$ 9,00), picanha e filé (R$ 11,00 cada um) estão entre os mais populares. As garrafas de cerveja — Skol, Antártica (R$ 8 cada uma), Amstel (R$ 8,40), além de outras marcas tradicionais — não param de circular. Rua Dona Maria Joana, 171, Setor Sul, ☎ 3225-1584 (60 lugares). 17h/23h30 (sáb. 11h/23h; fecha dom.). Aberto em 1995.

Dom Cirus

Como o espaço interno é apertado, a maioria das mesas vermelhas toma a calçada e até ocupa uma boa faixa da rua logo em frente. O segredo do sucesso está na cozinha, de onde saem petiscos premiados em festivais gastronômicos locais. A cada ano, um deles ganha destaque. A bola da vez são as mini-almôndegas de lagarto com bacon e molho especial da casa (R$ 24,00). Outro petisco especial é o minidisco de carne bovina ou suína com queijo (R$ 28,00). A porção de pastéis de linguiça caseira com queijo, tomate e orégano (R$ 27,00) e o bolinho de bacalhau (R$ 30,00, dez unidades) também têm público cativo. Rua 229, 128, Setor Coimbra, ☎ 99962-5120 (240 lugares). 16h/0h (sáb. e dom. 10h/22h). Aberto em 1989.

Don Guina Pub – 2º lugar 

Continua após a publicidade

Um esqueleto humano, de pé, tomando uma cerveja em um bistrô recebe os visitantes, que se entretêm com a divertida decoração. Por toda parte, há incontáveis adereços dependurados, resquícios das viagens que o dono faz pelo mundo. Outro atrativo é a seleção de blues e jazz — às vezes, um rock das antigas — que sai das caixas de som. As cervejas alemãs têm espaço de honra, especialmente a Paulaner e a Erdinger (R$ 32,00 cada uma, 500 mililitros). Porém, a líder de vendas é a Heineken (R$ 13,00). Para acompanhar, algumas porções são bem conhecidas, como a batata frita com queijo argentino e bacon (R$ 35,00, para três pessoas), o quibe com catupiry (R$ 33,00, quinze unidades) e a carne de sol na chapa, com tomate, cebola e mandioca (R$ 54,00, para três pessoas). Avenida Segunda Radial, 1575, Vila Redenção, ☎ 98184-4800 (42 lugares). 17h/1h30 (fecha seg.). Aberto em 2006.

Jajá Drink’s

Antes de abrir um bar no Mercado Popular da 74, Jajá teve loteria e loja de televisão por lá, passando das quatro décadas no mesmo local. Após algumas mudanças de nome, a casa se estabeleceu, abrigando shows gratuitos todas as noites. Além da música, seus petiscos criaram fama. Um deles leva 500 gramas de contrafilé acompanhado de mussarela, tomate, pimentão, cebola e mandioca. Há também a carne de sol com mandioca. Ambos custam R$ 40,00 e servem quatro pessoas. Uma novidade são as almôndegas ao molho de tomate cobertas com mussarela e tomate-cereja (R$ 38,00, quinze unidades). Cervejas como Antarctica e Amstel saem R$ 10,00 cada uma. Rua 74, 329 (Mercado Popular), Setor Central, ☎ 98534-9326 (360 lugares). 8h/23h (fecha dom.). Aberto em 2005.

La Eskina

De inspiração mexicana, o boteco tem nos drinques gigantes seu grande atrativo. O cozumel, por exemplo, tem 2 litros (R$ 40,00). O guadalajara traz sorvete de limão-siciliano e amora (R$ 15,90). Ainda há sucos que podem ser misturados de kiwi, amora, morango, abacaxi e laranja (R$ 14,95). Para experimentar um pouco de cada petisco, um combo inclui taco de alambre, burrito de frango, chimichanga campechana (burrito com polvo), quesadilla, molho picante, guacamole e nachos (R$ 76,60). Para finalizar, a dica é um combinado de sorvete de creme, chocolate, castanhas, brownie de chocolate e creme de pimenta (R$ 24,80). Avenida T-4, 385, Setor Bueno, ☎ 3954-3400 (250 lugares). 19h/0h (fecha dom.). Aberto em 2011. Aqui tem iFood.

Panelinha Grill & Cervejaria

A panelinha de carne-seca com banana (R$ 49,00, para duas pessoas) é a favorita dos clientes e se destaca entre as vinte receitas oferecidas. Para uma experiência completa, vale a pena tentar o rodízio (R$ 65,00, para duas pessoas), realizado às quartas e sextas, das 19h30 às 22h30. Além do apetrecho que dá nome ao bar, essa folia gastronômica traz petiscos e saladas, tudo já incluso no preço. A Heineken custa R$ 12,00, mas faz sucesso também o cozumel, mistura que leva cerveja, sal, limão e gelo (R$ 8,90). Rua 1038, 51, Quadra 83, Lote 11, Setor Pedro Ludovico, ☎ 3255-8388 (150 lugares). 17h/0h (sáb. a partir das 11h; dom. 11h/16h; fecha seg.). Aberto em 2005.

Continua após a publicidade

Saleh Comida Árabe

Boteco dedicado à culinária árabe, oferece um bufê de antepastos variado (R$ 59,90 o quilo), com os tradicionais babaganuche e pasta de berinjela com alho, além de novidades, como o patê de abacaxi com cream cheese. Outras opções são o quibe assado na brasa recheado com queijo (R$ 8,00 a unidade) e a toscha de carne de sol no pão sírio, recheado com tomate, cebola, orégano e catupiry (R$ 17,50 a unidade). A carta de cervejas especiais foi ampliada neste ano e soma agora sessenta rótulos, a exemplo da gaúcha Leopoldina (R$ 26,90, 500 mililitros). Avenida Pará, 29, Setor Campinas, ☎ 4101- 5432 (160 lugares). 8h/23h (sáb. até 19h; fecha domingo). Aberto em 1986.

Vai Tomá no Kuka

Os roqueiros locais costumam rumar para este ponto, aberto de madrugada, depois de festas e shows. Famoso pelo generoso pastel individual (R$ 24,00), cujo tipo mais procurado ainda é o de pizza, agora vende uma versão menor, o baby (R$ 15,00), e conta com recheios veganos. De terça a quinta, a garrafa de Antártica custa R$ 6,00 (nos fins de semana, R$ 8,50). Outras opções de cerveja são a Budweiser (R$ 10,50) e a Stella Artois (R$ 11,00, 550 mililitros). Ainda entraram no cardápio drinques feitos com cachaça, a exemplo do chicletinho, com acerola, refrigerante citrus e grenadine (R$ 12,00). O scobar leva abacaxi, hortelã, refrigerante citrus e vermute (R$ 13,00). Rua C-30, 18, Quadra 32, Lote 10, Jardim América, ☎ 3942-7221 (120 lugares). 19h/3h (sex. e sáb. até 5h; fecha dom.). Aberto em 2000.

Viracopos

O prato mais tradicional deste boteco orgulhosamente rústico é o espeto de picanha acompanhado de arroz, feijão-tropeiro, vinagrete, mandioca e polenta (R$ 132,00, para quatro pessoas). Há tira-gostos menores, como a porção de fígado com jiló (R$ 19,50, para duas pessoas) e o caldinho de mocotó (R$ 12,50 o maior e R$ 8,00 o menor). Mas são os espetinhos que fazem mais sucesso. Em especial, os de picanha (R$ 16,80), cupim (R$ 12,50) e cafta de frango com pequi (R$ 16,50), todos acompanhado de duas guarnições. Entre as cervejas, as opções são Brahma, Skol, Antártica (R$ 9,00 cada uma), Serramalte, Original e Stella Artois (R$ 11,90). Rua 25B, 60, Setor Oeste, ☎ 3942-4164 (100 lugares). 17h/0h (sáb. e feriados a partir das 11h; fecha dom.). Aberto em 1995.

Woodstock

Continua após a publicidade

Em alguns fins de semana, uma feira de discos de vinil divide o espaço com as mesas do bar de clima underground. No palco, rock’n’roll acústico. As banquetas do balcão simulam assentos de motocicleta. O cardápio traz muitas opções de petiscos. Uma das especialidades é o bolinho de massa de milho, recheado com coxa e sobrecoxa de frango desfiadas mais queijo e requeijão (R$ 25,90, sete unidades). De novidade, há iscas de coxa e sobrecoxa de frango com banana flambada, pimenta dedo-de-moça e mel (R$ 38,00). Para acompanhar, caem bem os chopes artesanais IPA, weiss e puro malte (R$ 10,00, R$ 8,50 e R$ 7,50, respectivamente; 360 mililitros cada um). Avenida D, 1064, Setor Oeste, ☎ 3285-2407 (46 lugares). 18h/2h (sex. e sáb. até 3h; fecha seg.). Aberto em 2003.

Zito’s Bar

Quando abriu seu negócio, Antônio Marmo de Moraes, o Zito, queria vender apenas pamonhas. Então pedreiro, não se via, trinta anos depois, vendendo pimentas dedo-de-moça empanadas, recheadas de carne, frango ou peixe (R$ 27,00, doze unidades), seu prato mais conhecido hoje. A quantidade de peixes no cardápio chama atenção. O surubim ao molho (R$ 75,00) e o tucunaré com arroz e vinagrete (R$ 85,00) servem seis pessoas. A novidade é a linguiça de filé de tilápia com batata-doce (R$ 30,00, para duas pessoas). Rua Sapucaí, 11, Quadra 60, Vila Brasília, Aparecida de Goiânia, ☎ 3280-4612 (300 lugares). 18h/0h (sáb. e dom. abre 12h). Aberto em 1988.

Publicidade