Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Técnico do Cruzeiro lamenta desfalques após derrota

Por Da Redação 8 set 2011, 10h09

Por AE

Uberlândia – Depois de estrear no comando do Cruzeiro com um empate por 1 a 1 com o Palmeiras, no último domingo, no Pacaembu, o técnico Emerson Ávila sofreu sua primeira derrota na noite desta quarta-feira, quando sua equipe caiu por 2 a 1 diante do Fluminense, em Uberlândia, e ficou na incômoda 12.ª posição no torneio nacional. Após o revés, o treinador lamentou os desfalques do time, que para ele foram determinantes para o insucesso dentro de casa.

“A gente ainda sente os muitos desfalques, jogadores importantes. Viemos sem o Ortigoza, sem o Wellington Paulista, nem preciso falar do Wallyson, que só volta no ano que vem. Outros estão surgindo, como o Bobô, que poderia ter sido uma opção para hoje (quarta), mas a substituição do (goleiro) Fábio (para a entrada de Rafael) foi inesperada, e acabou nos tomando uma opção de mudança na partida”, ressaltou o treinador, antes de cobrar evolução do time já a partir do jogo deste sábado, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela 23.ª rodada do Brasileirão.

“Realmente, precisamos criar mais, foi um jogo de poucas oportunidades de gol da nossa parte. O Fluminense não chegou tanto no segundo tempo, mas foi inteligente, buscou os contra-ataques e foi merecedor da vitória”, acrescentou.

E, se reclamou dos desfalques diante do time carioca, Emerson Ávila terá de driblar novos problemas para escalar sua equipe diante do Santos. Ele não poderá contar com Marquinhos Paraná, que tomou o terceiro cartão amarelo e cumprirá suspensão. Para completar, o treinador não terá como escalar Charles e Keirrison, que estavam defendendo o time santista, por força de contrato.

Em compensação, o comandante terá à disposição o meia Gilberto e o atacante Ortigoza, que se recuperou de uma contusão na coxa direita. Já o primeiro deles pode voltar a defender o time após ser demovido pela diretoria do Cruzeiro da ideia de se aposentar, possibilidade que o jogador cogitou após cometer um pênalti no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, no último domingo. Por causa disso, ele acabou sendo liberado do duelo com o Fluminense por causa de falta de condições psicológicas de defender a equipe mineira.

Continua após a publicidade
Publicidade