Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prandelli se diz orgulhoso da ‘Azzurra’, mas pede mudanças e faz críticas

Redação Central, 2 jul (EFE).- Vice-campeão europeu à frente da seleção italiana, depois da derrota por 4 a 0 para a Espanha neste domingo no Estádio Olímpico de Kiev, o técnico Cesare Prandelli se mostrou feliz por ter participado da final, mas ressaltou que o futebol de seu país precisa evoluir.

‘Somos um país velho, com alguns métodos e estruturas velhos, que estamos tentando mudar, porque era uma necessidade. Pode ser um exemplo para o país. É um projeto vencedor para todo o futebol, mas convencer a todos é difícil’, queixou-se Prandelli antes do retorno à Itália, em uma entrevista concedida na Casa Azzurri, em Cracóvia.

O treinador mostrou-se decidido a continuar com o projeto iniciado logo depois da eliminação ainda na primeira fase da Copa do Mundo de 2010 e destacou que o vice-campeonato continental não pode mascarar alguns erros.

‘O resultado não deve condicionar uma ideia. Não devemos dar passos para trás. É o aspecto que mais me preocupa’, afirmou Prandelli, que se disse preocupado com a falta de oportunidades para as promessas italianas nos principais clubes do país.

‘Tentaremos encontrar os novos (Andrea) Pirlo, mas sem jogar eles não podem evoluir. Além disso, solicitaremos um maior tempo para poder trabalhar com eles, a cada dois meses, para avaliar seus progressos. Acredito em meu trabalho, acho que o demonstrei na Eurocopa, mas se eu tiver que me limitar a três treinamentos a cada oito meses fica difícil’, reclamou.

Prandelli disparou ainda com a falta de interesse que ele acredita haver em relação à seleção italiana dentro do próprio país.

‘Nossa próxima partida é o amistoso contra a Inglaterra, em 15 de agosto. Poucos dias antes será disputada a Supercopa da Itália (entre Juventus e Napoli), em Pequim. É complicado. Quando digo que a seleção não interessa em nada, não estou mentindo’, comentou.

Reclamações à parte, o treinador destacou o bom futebol apresentado por sua equipe em gramados poloneses e ucranianos, algo que, para ele, é mais importante que os resultados em si.

‘O país deve estar orgulho de sua seleção. E nós estamos satisfeitos porque fomos além da parte esportiva e propusemos um futebol agradável. Presenteamos a Itália com um sonho depois de termos entrado na Euro sem grandes expectativas’, comentou o técnico italiano, que encerrou dando os parabéns à Espanha pelo título.

‘Poderíamos ter ido mais longe se tivéssemos dois dias a mais de descanso. Mas eles estão de parabéns pela continuidade extraordinária’, considerou. EFE