Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Palmeiras leva virada da Ponte e termina em 2.º lugar

Time perdeu de 2 a 1 para a Ponte Preta em Campinas

Por Da Redação 17 abr 2011, 18h42

O Palmeiras perdeu a chance de conquistar a primeira colocação da fase inicial do Campeonato Paulista, neste domingo, ao levar uma virada da Ponte Preta, por 2 a 1, no Moisés Lucarelli, em Campinas. O revés encerrou uma série invicta de 15 jogos do time de Luiz Felipe Scolari, que sofreu apenas a segunda derrota em 2011.

Apesar do revés, Felipão se mostrou satisfeito com o resultado nos instantes finais da partida, ao orientar seus jogadores a apenas tocarem a bola, sem buscar o ataque. O segundo lugar na tabela direciona o Palmeiras para um confronto com o Mirassol. Se tivesse conquistado a primeira colocação, o duelo seria com a Portuguesa.

A Ponte Preta, por sua vez, enfrentará o Santos nas quartas de final. Os confrontos da próxima fase serão disputados no próximo final de semana. As datas e os horários das partidas ainda não foram definidas pela Federação Paulista de Futebol.

Com os dois times classificados, os treinadores pouparam titulares e mandaram a campo equipes mistas. Luiz Felipe Scolari, que já antecipara os vetos de Valdivia e Márcio Araújo, promoveu mais mudanças antes do jogo e escalou o meio-campo com Chico, João Vitor e Tinga. O ataque foi formado por um trio: Max Santos, Adriano e Kléber.

Mesmo desentrosado, o Palmeiras foi melhor no primeiro tempo. Chegava com mais facilidade ao ataque, mas falhava no último passe. O goleiro Bruno, da Ponte, pouco trabalhou. Em uma das poucas vezes em que foi exigido, falhou feio. Ele aceitou chute de Max Santos, de fora da área, aos 21 minutos. A bola passou entre suas pernas e caminhou devagar até ultrapassar a linha do gol. Foi o primeiro gol do atacante com a camisa do Palmeiras.

Mais recuada, a Ponte mostrava lentidão no meio-campo e quase não ameaçava a defesa palmeirense. O empate surgiu em uma das raras vezes em que chegou ao ataque. Após rápida jogada de Uendel pela esquerda, Márcio Diogo recebeu dentro da área, passou pelo marcador e bateu firme para as redes. O goleiro Deola chegou a desviar a bola, mas não conseguiu impedir o gol.

Depois de buscar o empate, a Ponte começou o segundo tempo com mais iniciativa no ataque. Guilherme quase marcou em duas boas oportunidades em menos de quatro minutos. Aos 10, ele aproveitou vacilo de Rivaldo dentro da área e encheu o pé, de primeira, acertando a trave esquerda do goleiro palmeirense. Na sequência, arriscou de fora da área e exigiu grande defesa de Deola.

Insistente, a Ponte chegou à virada aos 30 minutos. Renatinho encheu o pé, de fora da área, e acertou o canto direito de Deola: 2 a 1. O gol esquentou o jogo e deixou os anfitriões no controle.

Empurrada pela torcida, a Ponte se fechou na defesa e não parou de levar perigo no ataque. O Palmeiras, após perder o domínio no meio-campo, abusou das faltas na tentativa de segurar o ímpeto da Ponte. Mas, mesmo diante do placar adverso, valorizou a posse de bola, seguindo as orientações de Felipão no banco de reservas.

O Palmeiras volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Santo André, no Pacaembu, às 16 horas, no segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. O time de Felipão joga por um empate para avançar na competição.

Continua após a publicidade

Ficha Técnica:

Ponte Preta 2 x 1 Palmeiras

Ponte Preta – Bruno; Eduardo Arroz, Wellington, Ferron e Uendel; Guilherme, Josimar, Lucas (Renan) e Márcio Diogo (Charles); Renatinho (Mateus) e Tiago Luís. Técnico: Gilson Kleina.

Palmeiras – Deola; Cicinho (Luiz Felipe), Maurício Ramos, Leandro Amaro e Rivaldo; Chico, João Vitor e Tinga; Max Santos (Luan), Adriano e Kléber (Vinícius). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols – Max Santos, aos 21, Márcio Diogo, aos 25 minutos do primeiro tempo. Renatinho, aos 30 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos – Josimar, Renatinho, Tiago Luís, Eduardo Arroz (Ponte Preta); Rivaldo, Chico, Luan (Palmeiras).

Árbitro – Sálvio Spinola Fagundes Filho.

Renda – R$ 223.156,00.

Público – 9.956 pagantes.

Local – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Continua após a publicidade

Publicidade