Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ex-desconhecido, Fernandinho comemora afirmação na Seleção

Por Da Redação 13 nov 2011, 09h43

Quando foi chamado para um período de treinos em Barcelona com a Seleção Brasileira, em setembro do ano passado, Fernandinho era pouco conhecido pela torcida. Mas o jogador agradou ao técnico Mano Menezes, desbancou Ganso pouco depois, no amistoso com a Alemanha e continuou defendendo o Brasil. Para o meia, sua convocação foi surpresa apenas para quem não acompanha os jogos do Shakhtar Donetsk na Ucrânia.

‘Ser menos conhecido é até compreensível porque são poucos que acompanham o Campeonato Ucraniano. Mas para quem vive do futebol não foi surpresa. Eu saí cedo do Brasil mas conquistei muita coisa pelo Shakhtar e me projetei na Europa (quatro nacionais, duas Copas da Ucrânia e uma Liga Europa). Acredito que o Mano acompanhou esse processo’, declarou o ex-jogador do Atlético-PR ao site da Fifa.

‘Estava treinando no início da temporada, quando todo mundo ainda estava em ritmo mais devagar, voltando das férias, recuperando a forma. Fui chamado contra a Alemanha e foi um teste de fogo, mas acho que entrei bem no grupo. A equipe está crescendo, o ambiente é bom, esse é o caminho se quisermos ganhar a Copa em 2014’, completou.

Diante da Alemanha, Fernandinho foi bem, mas seu ápice com a Seleção até agora talvez tenha sido contra Gana, em setembro, quando deu assistência para Leandro Damião marcar o gol da vitória. O jogador destacou que nesta partida ele jogou em uma função diferente, como segundo volante, na qual está mais acostumado.

‘Já joguei em várias posições, de lateral, de meia, quase de atacante até, mas nunca escondi de ninguém que gosto mais de ser segundo volante. Na minha opinião tive um rendimento muito melhor diante de Gana, mas tudo depende do padrão de jogo. Os meias têm dado passes para o ataque, os da frente têm voltado para marcar, todo mundo se ajuda’, analisou Fernandinho, entendendo que o passe do Brasil precisa ter qualidade para facilitar o trabalho dos atacantes.

‘O Brasil não pode jogar só com bolas aéreas, não é nossa característica. Não adianta Ronaldinho, Neymar e Hulk ficarem disputando bola pelo alto. Com meu estilo, acho que podemos fazer bem essa ligação da defesa para o ataque, passando sempre com a bola no chão pelo meio’, opinou.

Na função de segundo volante, Mano Menezes optou por Elias na última quinta-feira, diante do Gabão. Fernandinho vive a expectativa de ser titular nesta segunda, quando a Seleção enfrenta o Egito em Doha. Depois, ele retorna à Donetsk para tentar ajudar o Shakhtar a se reerguer na Liga dos Campeões.

Continua após a publicidade
Publicidade