Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dossiê que gerou unificação dos títulos brasileiros é lançado em São Paulo

Os torcedores de todos os clubes agora também podem ter acesso à pesquisa que convenceu a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a reconhecer os títulos nacionais conquistados entre 1959 e 1970 como Campeonatos Brasileiros. No início da noite desta segunda-feira, os santistas José Carlos Peres e Odir Cunha lançaram o livro ‘Dossiê – Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959’ no Museu do Futebol, em São Paulo.

‘Queremos que as pessoas conheçam a verdade dos fatos. Lendo o livro, quem ainda é contrário à unificação deixará de dar opiniões absurdas e começará a demonstrar respeito à história do futebol brasileiro. O Dossiê está aí. Gastem R$ 60 em um e analisem. Se ainda acharem que os campeonatos anteriores não valeram depois de ler o livro, expliquem os motivos. Infelizmente, alguns continuam mentindo para si mesmos, dizendo que o reconhecimento foi uma jogada política’, desabafou Odir Cunha.

Santos e Palmeiras foram os maiores beneficiados com a resolução de validar os títulos de Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa como Campeonatos Brasileiros: passaram a contabilizar oito conquistas cada, recorde no País. Bahia, Cruzeiro, Botafogo e Fluminense também se favoreceram com a decisão da CBF.Para Odir Cunha, contudo, somente o reconhecimento da maior entidade do futebol nacional não basta. ‘Alguns cardeais do jornalismo esportivo se baseiam no achismo. Eles têm uma verdade mais verdadeira do que a própria verdade. Quando a imprensa brasileira falar de campeões brasileiros, não pode mais usar a lei do menor esforço e apontar só aqueles que foram após 1971. Isso está errado! E, agora, ilegal!’, revoltou-se o escritor, que é jornalista.

Além dos ex-jogadores, dirigentes também prestigiaram o lançamento de ‘Dossiê’. Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos, foi um deles. ‘Com o reconhecimento da CBF, ganharam a verdade e o futebol brasileiro. É natural que outros torcedores chiem. Alguns ficam chateados, mas isso faz parte da vida. Os cães ladram, e a caravana passa’, filosofou, enquanto seu antecessor se vangloriava por ter apoiado a pesquisa de Odir Cunha. ‘Dentre tantos e expressivos títulos que tivemos na nossa gestão, esse é um dos mais significativos’, classificou Marcelo Teixeira, mandatário santista entre 1991 e 1993 e de 2001 a 2009.

‘Corinthians foi campeão mundial’ – Santista fanático, Odir Cunha esqueceu a rivalidade ao falar sobre um feito alcançado pelo Corinthians. O clube do Parque São Jorge é considerado o primeiro campeão mundial de clubes pela Fifa, por ter levantado o troféu de torneio sediado no Brasil, em 2000.’Era um campeonato criado pela Fifa, que poderia ter sido experimental e não foi, e deu Corinthians. É oficial. O Corinthians foi campeão mundial’, advogou Odir Cunha, lembrando que o argentino Boca Juniors ficou com o título da Copa Intercontinental de 2000. ‘É o mesmo caso que acontece no dossiê dos títulos brasileiros. Não se deve punir o Corinthians nem o Boca. Os dois clubes são campeões mundiais. Um pela Fifa, e o outro por um torneio que já vinha sendo realizado há décadas. Vamos deixar a paixão de lado e usar critérios iguais. Não sou corintiano, mas o Corinthians foi campeão legitimamente.’