Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coritiba ameaça ir à Justiça para não ceder seu estádio

Por Da Redação - 13 jan 2012, 16h28

Por Evandro Fadel

Curitiba – A definição sobre o estádio em que o Atlético-PR vai mandar seus jogos durante o Campeonato Paranaense pode ficar para a Justiça. Nesta sexta-feira, o presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Hélio Cury, requisitou o Estádio Couto Pereira, pertencente ao Coritiba, e fixou em R$ 30 mil o valor da locação por partida. E o Conselho Administrativo do Coritiba respondeu imediatamente, por meio de nota, dizendo que procurará as “medidas judiciais cabíveis”.

A decisão precisa ser tomada até meados da próxima semana, pois o campeonato começa no dia 22 de janeiro, quando o Atlético-PR recebe o Londrina. Normalmente, o jogo seria na Arena da Baixada. Mas o estádio atleticano está fechado, a princípio até março do próximo ano, para a realização de obras visando à Copa do Mundo 2014. Foi o próprio Atlético-PR quem indicou o Couto Pereira à FPF, alegando que precisa de um local onde caibam seus mais de 20 mil sócios.

Ao negar ceder seu estádio para o rival, o Coritiba justificou que está realizando obras no gramado, particularmente no sistema de irrigação, o que seria prejudicado caso fossem realizadas mais partidas que as programadas para seu próprio time. O presidente da FPF alegou que esse argumento “perde relevância diante da atual situação” e, tendo como apoio o artigo 46 do estatuto da entidade, que prevê, inclusive, a gratuidade na cessão da praça esportiva, enviou ofício ao clube requisitando seu estádio para os jogos de mando do Atlético-PR.

Na determinação da FPF, o presidente Hélio Cury estipulou valor de aluguel e destacou que os R$ 30 mil devem ser retidos pelo tesoureiro da entidade escalado para a partida e repassados imediatamente ao Coritiba. Mas o clube parece não ter aceitado a decisão e ameaça agora apelar à Justiça.

Continua após a publicidade
Publicidade