Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil cai diante da Nigéria na decisão da Copa Lagos

A Seleção Brasileira de futebol de areia encerrou suas atividades na temporada com uma derrota por 9 a 4 diante da Nigéria na decisão da Copa Lagos, disputada neste domingo. Bruno Malias (2), Marquinhos e Serginho anotaram para o time nacional, que chegou a liderar por 4 a 3, mas Abu (5), Olawale (2) e Tale (2) descontaram para os donos da casa na Arena Eko.

‘Estamos chateados pela derrota, principalmente pela maneira como ocorreu, porque estávamos bem no jogo até marcarmos o quarto gol. A partir dali, paramos de jogar e eles aproveitaram os espaços. A Nigéria está de parabéns, porque fez um jogo limpo e foi eficiente no último período. É um time muito bom. Não tão técnico, mas que sabe jogar e nos venceram méritos’, disse o técnico Guga Zloccowick.

Já Buru lembrou o contexto de renovação atravessado pelo elenco. ‘A Seleção Brasileira está passando por um momento de transição, viemos com um grupo bastante modificado, começando um novo trabalho e tenho certeza de que vamos crescer muito. Todos estamos confiantes de que 2012 será um ano diferente. Não podemos esquecer as derrotas que sofremos esse ano. Temos que aprender com elas’, afirmou.

A Seleção encerra a temporada com um total de 35 vitórias e cinco derrotas em 40 confrontos. O Brasil foi campeão da Miami Cup, das Eliminatórias Conmebol, do Mundialito de Portimão e dos Jogos Sul-Americanos de Praia, além de ficar com o vice na Copa Latina, na Copa do Mundo, na Copa Intercontinental e na Copa Lagos. O time entra em ação novamente no dia 22 de janeiro, no Desafio Internacional, em São Paulo.

‘Fechamos um ciclo de um mês com três torneios, onde foram convocados 23 jogadores e pude fazer algumas observações que eram necessárias para iniciarmos a próxima temporada. Temos muito trabalho pela frente, mas o mais importante é que contamos com um grupo forte de atletas, jogadores experientes e jovens que estão chegando, todos muito motivados e comprometidos em ajudar o Brasil’, afirmou Zloccowick, otimista.