Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Segundo Sol’ tem último capítulo repetitivo e sem pé nem cabeça

Teve sequestro de criança de novo, personagens reatando no aeroporto e até uma indicação de que Karola deveria mesmo é virar heroína de filme de ação

Como se não bastasse ter repetido suas tramas várias e várias vezes ao longo dos últimos cinco meses, Segundo Sol terminou nesta sexta-feira com mais exemplos da falta de inspiração da novela das 9 da Globo. A começar por mais um sequestro de criança, o último capítulo do folhetim de João Emanuel Carneiro deu show nos quesitos repetição e acontecimentos absurdos.

Luzia (Giovanna Antonelli) até tentou convencer Karola (Deborah Secco) de que ela poderia ser uma boa pessoa, mas foi surpreendida por Laureta (Adriana Esteves), que decidiu sequestrar Miguelzinho. Não só o sequestro como recurso dramático é extremamente batido no último episódio como já tinha sido usado pela mesma novela antes, arquitetado pelas mesmas pessoas, inclusive – quando a dupla sequestrou Valentim (Danilo Mesquita).

Em seguida, quase em sequência, duas cenas absurdas: primeiro Luzia pedindo socorro de dentro de casa e o povão na rua, que estava em um bloco de Carnaval, tê-la ouvido e ido ajudar; e depois Laureta ter atirado na direção de Valentim, mas Karola, mais rápida do que muito super-herói da Marvel e da DC, ter tido tempo hábil de se jogar na frente do filho e levado o tiro no lugar dele.

Depois da trágica morte de Karola, a novela tratou de dar finais felizes aos outros personagens. Nice (Kelzy Ecard) anunciou que iria se casar de novo e ser sócia de Cacau (Fabíula Nascimento); Ionan (Armando Babaioff) percebeu que estava sobrando na relação a três e deixou Maura (Nanda Costa) e Selma (Carol Fazu) serem felizes sozinhas, reatando depois com Doralice (Roberta Rodrigues); Cacau voltou com Roberval (Fabrício Boliveira) – com direito a cena clichê em aeroporto -; Rosa (Leticia Colin) revelou estar grávida de Valentim, enquanto Ícaro (Chay Suede) arranjou uma nova namorada.

Veja também

Remy assumiu os negócios de Laureta, mas o final da vilã-mor foi muito mais surpreendente e o único a ter se salvado nesse mar de desfechos insípidos. A cafetã foi presa e começou a comandar a cadeira, obtendo vantagens e regalias até das policiais. Ao deixar o xilindró tempos depois, anunciou que iria se candidatar ao cargo de deputada federal, afirmando que as acusações de crimes que havia cometido eram fake news. “Laureta no poder, garantia de prazer”, disse, revelando seu slogan.

Este último capítulo foi mesmo da cafetina, já que até no final a mocinha acabou deixada de lado. Tendo resolvido toda a vida nos capítulos anteriores, Luzia praticamente só apareceu para fazer figuração em cenas protagonizadas por outras pessoas. No fim, tudo acabou em Carnaval, com a mesma Axé Pelô do primeiro capítulo e Beto Falcão (Emilio Dantas), que também sumiu desse final, em cima de um trio elétrico. Em geral, o desfecho pouco marcante parece ter refletido a totalidade da novela: pouco ousado, simples, esquecível. Um cheiro, Segundo Sol, você não vai deixar saudades.