Clique e assine com 88% de desconto

O sobe e desce dos brothers no ‘BBB 13’

Anamara e Ivan saíram do paredão para a liderança, enquanto Bambam e Dhomini foram vencidos pela pressão do jogo após entrarem como favoritos

Por Emylinn Lobo, do Rio de Janeiro - 30 jan 2013, 18h50

Anamara escolheu uma passagem bíblica para seu retorno à casa do BBB 13: “Os humilhados serão exaltados”. É a frase que melhor reflete a trajetória do reality show até o momento. Espelhando-se nela e no inexpressivo Ivan, Marcello – recém-absolvido no paredão contra Aslan – espera a chance de se sobressair no jogo e, talvez assim, conseguir mais apoio dos demais.

Em uma maré de azar, o personal trainer virou a principal opção de voto de vários colegas de confinamento na última semana. Ele foi mal interpretado pela justificativa que deu ao vetar Andressa da falsa prova de liderança da semana passada e irritou André por não ter participado da prova da comida. Mas se depender do histórico de altos e baixos da casa, sua virada é certa. Tem sido assim desde a primeira semana: um participante se destaca, ganha moral, mas logo depois leva uma rasteira. O contrário também vale.

Leia: A vingança de Anamara no ‘BBB 13’

Começou com Kléber Bambam, o vencedor da primeira edição do programa, que foi resgatado por Boninho para causar. E causou. Chegou por cima, foi o primeiro imunizado com a liderança, mas poucos dias depois protagonizou uma briga ao vivo, viu-se em uma teia de inimigos, e pediu para sair. Enquanto um descia, outro subia. No paredão de estreia, Aline, a falastrona, foi indicada por Fani, que substituiu Bambam na liderança, e Ivan, que era o mais apagado da casa, foi indicado pelos outros participantes. Só sobreviveu graças à rejeição da carioca, e teve uma virada espetacular. De apagado e emparedado, virou líder e ganhou mais importância na casa.

Publicidade

O professor indicou, então, Anamara, e Dhomini foi pela casa. O goiano teve uma experiência parecida com a do outro vencedor, Bambam. Também favorito ao prêmio na primeira semana, já na segunda viu sua popularidade ir ladeira abaixo dentro e fora da casa. Não escapou do paredão. Maroca, a sobrevivente, viu o seu inimigo Elieser vencer a liderança. O também veterano resistiu onze horas em cima de uma corda bamba declaradamente com o objetivo de colocar a ex-policial na berlinda. Conseguiu e sentiu seu triunfo quando Bial tirou Anamara da casa. Um dia depois, o baque: Elieser descobriu que o paredão era falso e a sister voltou como a nova líder. O público ficou ansioso e vibrou ao ver a expressão de desolado do rapaz, chamado de líder mané pelo diretor Boninho. Por muito menos, Bambam desistiu, mas Elieser ainda acredita no seu dia de caçador.

Enquanto conta vantagem de ser a escolhida do público no BBB Vai e Volta, Anamara nem percebe a derrocada rápida de quem um dia já passou pelo topo. No BBB 11, Mau Mau também foi escolhido para voltar à casa após uma repescagem de Boninho, mas não soube usar o benefício e sua eliminação foi quase tão rápida quanto seu retorno triunfal. Com grande torcida fora da casa, a baiana tem a chance de fazer diferente. E até a novata Andressa já percebeu a charada: “Maroca ganhou um prêmio que pode usar para matar ou morrer”.

Leia também:

Conheça os apelidos dos brothers na internet

Publicidade

Quer dirigir o ‘BBB’? Boninho aceita sugestões

Na casa do BBB, a luta pela sobrevivência das ‘espécies’

Periguetes, políticos, sofredoras… Conheça dos grupos do BBB

Publicidade