Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MoMA compra pintura de Tarsila do Amaral por cerca de US$ 20 milhões

'A Lua', da fase antropofágica da artista, foi pintado em 1928, mesmo ano em que ela produziu o 'Abaporu'

O Museu de Arte Moderna (MoMA), em Nova York, anunciou nesta quarta-feira, 27, a compra da pintura A Lua, de Tarsila do Amaral. Estima-se que a peça, da fase antropofágica da brasileira, tenha sido comprada por cerca de 20 milhões de solares (ou 74 milhões de reais). Se confirmado, o valor é o mais alto já pago por uma obra de pintor brasileiro – o recorde anterior é de Vaso de Flores, de Alberto da Veiga Guignard, leiloada por 5,7 milhões de reais em 2015.

'A Lua', de Tarsila do Amaral ‘A Lua’, de Tarsila do Amaral

‘A Lua’, de Tarsila do Amaral (MoMA/Divulgação)

As negociações, segundo a assessoria de imprensa de Tarsilinha do Amaral, como é conhecida a sobrinha-neta e administradora do espólio da artista, duraram cerca de um ano – estavam em curso desde fevereiro de 2018, quando o museu abriu a exposição Tarsila do Amaral: Inventing Modern Art in Brazil, a primeira retrospectiva de um artista brasileiro no MoMA.

A Lua foi pintado em 1928, mesmo ano em que produziu a tela inaugural do movimento antropofágico, Abaporu, hoje pertencente ao acervo do Malba, de Buenos Aires. A Lua destaca-se por sua composição sensual, altamente estilizada e feito com uma paleta rica em cores muito saturadas.

Nascida em São Paulo em 1886 no seio de uma família que possuía plantações de café, Tarsila do Amaral estudou música e belas artes antes de se mudar a Paris em 1920, onde seguiu com seus estudos em arte. Nessa década, viajou constantemente entre a capital francesa e sua cidade natal, embora tenha sido em Paris onde completou o que chamou de “serviço militar em Cubismo” nos ateliês de André Lhote, Fernand Léger e Albert Gleizes. Lá conheceu também grandes figuras das vanguardas artísticas, como Constantin Brancusi, Jean Cocteau e Pablo Picasso.

(Com EFE)