Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Longa ‘Entre Nós’ promove reunião de velhos amigos

Um dos preferidos a ganhar o Troféu Redentor, o filme é codirigido por Paulo e Pedro Morelli e estrelado por Caio Blat e Carolina Dieckmann

O reencontro de velhos amigos é um tema recorrente no cinema. Mas ainda pode surpreender, como prova o longa brasileiro Entre Nós, codirigido por Paulo e Pedro Morelli, pai e filho. O filme, com sessão neste domingo, às 21h30, no Cinemark Botafogo 3, é um dos favoritos a ganhar o Troféu Redentor, conferido ao vencedor da mostra competitiva do Festival do Rio.

Não que a revelação que acontece em certo momento do filme seja totalmente inesperada – ela já é sugerida durante a história. O que pega o espectador de jeito é a tensão latente em cada reação e olhar dos personagens. Caio Blat, Carolina Dieckmann, Maria Ribeiro, Júlio Andrade, Paulo Vilhena, Martha Nowill e Lee Taylor são amigos com pretensões literárias, alguns com livros já quase prontos, que se reúnem na casa de campo de uma delas em 1992. O encontro, regado a música, álcool, sexo e discussões literárias, termina em tragédia.

Dez anos depois, os seis que sobraram voltam a se juntar para lembrar um dos amigos e, principalmente, para desenterrar as cartas que haviam sido escritas para eles mesmos em 1992, antes do acidente. “A história fala da passagem do tempo. A gente mostra os mesmos personagens em duas épocas. Há muito tempo eu e o Pedro queríamos fazer um filme juntos, e tínhamos essa vontade de falar sobre a amizade e sobre a passagem do tempo”, diz Paulo Morelli.

O reencontro e a leitura das cartas faz com que eles confrontem aquilo que desejavam com o que realmente realizaram. “O filme mostra o que a vida faz com as pessoas, que muitas vezes abrem mão de um amor, de um sonho, de uma vocação. Esse reencontro permite que os personagens revejam suas vidas e suas escolhas”, diz a atriz Maria Ribeiro.

Há muito humor no filme, principalmente graças aos personagens de Júlio Andrade e Martha Nowiil. Mas o saldo da reunião é amargo. Traições, mágoas e decepções se acumulam na tela, num embate entre jovens que permaneceram fieis a seus valores e outros que, ao longo dos anos, abriram mão dos ideais.

Leia também:

Macaquinho carismático de ‘Amazônia’ abre Festival do Rio

Festival do Rio divulga programação da Première Brasil