Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MEC convoca audiência para acertar transferência de alunos da Gama Filho e da UniverCidade

Instituições foram descredenciadas nesta semana. Estudantes cobram soluções

O Ministério da Educação (MEC) vai convocar faculdades particulares da cidade do Rio de Janeiro para uma audiência pública na próxima terça-feira, dia 21, para detalhar às instituições o edital de transferência dos cerca de 9.500 alunos da Universidade Gama Filho (UGF) e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), que foram descredenciadas pela pasta na segunda-feira.

Leia também:

Defensoria do Rio apresenta ação para facilitar transferência de alunos da Gama Filho​

Galileo Educacional diz que vai recorrer de descredenciamento

MEC descredencia duas universidades do Rio de Janeiro

De acordo com o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do ministério, Jorge Messias, os diferentes cursos das universidades serão agrupados em lotes, que vão misturar áreas de maior e menor apelo econômico aos olhos das instituições interessadas, ou seja, com mais ou menos alunos matriculados. O objetivo é garantir que alunos de todos os cursos sejam aceitos por outras faculdades particulares.

“A instituição que vencer o edital será a que oferecer maior equivalência econômica, de mensalidades e descontos, e maior aproveitamento dos estudos realizados. Temos recebido várias solicitações de instituição interessadas”, afirmou Messias. O ministério diz ainda que vai estimular a contratação dos professores egressos das universidades.

Os estudantes, por sua vez, estão preocupados com as disciplinas que não foram concluídas em razão das consecutivas greves por que passaram, e temem ter de cursar novas matérias que não estavam na grade de seus cursos, mas são obrigatórias nas universidades que os absorverem. Eles, obviamente, não querem adiar a formatura e nem pagar mais do que tinham previsto.

Na quinta-feira, representantes do corpo discente das universidades saíram insatisfeitos da reunião que tiveram com Messias, que durou o dia inteiro. “Esperávamos que o governo federalizasse as universidades ou fizesse uma intervenção. Isso poderia ter sido feito há mais tempo. Paguei o semestre passado e não tive aula. A solução precisa ser mais rápida”, disse Rafael Collado, que está no quinto período de Medicina da Gama Filho.

Também na quinta-feira, a Defensoria Pública do Rio de Janeiro apresentou uma ação civil pública com pedido de liminar para facilitar o processo de transferência dos universitários da Gama Filho.

“Pedimos o prazo de dez dias para que eles sejam atendidos pelo grupo Galileo, mantenedor das universidades. Com os papéis em mãos, eles poderão procurar outra faculdade enquanto o processo de transferência assistida não começa”, afirmou Larissa Davidovich, coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do Rio (Nudecon).

O caso – O MEC alega que o descredenciamento ocorreu devido à má qualidade do ensino oferecido nas instituições e porque o grupo Galileo não ofereceu um plano para superar os problemas financeiros, que causaram atrasos no pagamento de professores e funcionários. ​Em 2013, o vestibular das instituições foi suspenso em duas ocasiões.

Em agosto, o grupo foi notificado após um período de paralisação das atividades causado pela falta pagamentos. Diante da situação, a mantenedora assinou um termo de saneamento de deficiências (TSDs). Porém, em dezembro, as instituições tiveram novamente os vestibulares suspensos por terem descumprido o acordo.​

Leia também:

Defensoria do Rio apresenta ação para facilitar transferência de alunos da Gama Filho​

Galileo Educacional diz que vai recorrer de descredenciamento

MEC descredencia duas universidades do Rio de Janeiro

(Com Estadão Conteúdo)