Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Abstenção do Enem custa R$ 90,4 milhões ao governo

Ministério da Educação solicita estudo para determinar perfil dos faltosos. Objetivo é criar medidas que reduzam taxa de abstenção, que atingiu 27,9%

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012 teve um índice de abstenção de 27,9%, muito superior ao de vestibulares tradicionais, em que a taxa não costuma passar de 9%. O custo com os faltosos foi de 90,4 milhões de reais aos cofres públicos. O índice, similar ao de edições passadas da prova, levou o Ministério da Educação (MEC) a pensar em formas de tentar reduzir o número de candidatos que se inscrevem, mas faltam à prova.

Confira o gabarito do Enem:

1º dia de provas

2º dia de provas

O estudo foi um pedido pessoal do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, ao professor Luiz Cláudio Costa, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão que organiza o Enem. A análise deve ficar pronta em 20 dias. “O ministro atentou para esse problema e já estamos produzindo o estudo. Tenho convicção de que é possível construir uma política para reduzir esses índices”, disse Costa.

O órgão quer entender exatamente o perfil dos faltosos, cujo número chegou a 1,6 milhão no exame do fim de semana passado. O Inep quer identificar se existe variação da abstenção por região e idade e também se há predominância dos candidatos isentos ou treineiros. Neste ano, 70% dos 5,7 milhões de inscritos não pagaram a taxa de inscrição. São alunos de escola pública ou que pediram isenção por carência.

O custo por aluno neste Enem foi de 55,98 reais, um aumento de 8 reais em relação ao ano passado. tendo em vista que 30% dos candidatos pagaram uma taxa de 35 reais, o custo final por estudante ficou em 46 reais. Esse gasto tem sido crescente a cada ano e a taxa de abstenção se mantém estável. Em 2011, a média de faltas foi de 26,4% e, em 2010, de 28%.

Apesar dos altos índices registrados nos anos anteriores, o Inep nunca fez um estudo para entender os motivos da abstenção. “Vamos fazer agora o recorte, levando em conta os dados deste ano e dos anteriores, para mostrar ao ministro o que aconteceu em cada edição”, disse o presidente do Inep.

Perfil dos faltosos – A impressão que corre no MEC é de que a alta taxa não é culpa apenas dos que não pagam pelo exame. Haveria também um porcentual representativo de faltosos entre aqueles que pagam o valor da inscrição. A taxa real da prova seria de 45 reais. Portanto, quem paga 35 reais e falta também acarreta custos ao governo já que, segundo o MEC, obteve um subsídio de 10 reais.

O MEC arrecadou 66 milhões de reais com as taxas de inscrição neste ano. Com isso, o gasto do governo com a organização desta edição foi de 262 milhões reais. O valor refere-se às questões de logística, segurança, impressão, aplicação e correção da prova.

De acordo com especialistas, o modelo híbrido da prova também pode favorecer o número de faltas. O Enem nasceu em 1998 como ferramenta nacional de avaliação do ensino médio. A partir de 2009, foi reformulado e se tornou o maior vestibular do país – já adotado pela maioria das universidade federais (confira como as instituições utilizam a nota do Enem). Além disso, a nota é usada como critério para a concessão de bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) e financiamento estudantil. Ainda é usado para certificação do ensino médio para jovens e adultos.

Para o professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Cipriano Luckesi, ainda existe muita confusão em torno do exame. “A população em geral ainda não assimilou com clareza a verdadeira função do Enem”, afirmou ele, que é especialista em avaliação. “Acho que o MEC precisa se esforçar para esclarecer que o Enem é recurso de seleção. Mas ainda é importante que ele continue sendo uma ferramenta para avaliar o ensino médio.”

Mercadante já disse neste ano que o MEC estuda tornar o Enem obrigatório para os concluintes do ensino médio. A medida significaria a substituição da Prova Brasil pelo exame. Hoje, a Prova avalia os concluintes dessa fase por amostragem. Para alcançar todos os concluintes, haveria aumento de 300.000 estudantes no Enem, implicando em custo adicional de 17 milhões de reais.

Leia mais

Redação

Estudantes criticam tema da redação do Enem 2012

‘Fator surpresa’ pode baixar notas da redação no Enem

Correção da redação deve provocar mais queixas

Redações do Enem com 3ª correção devem triplicar

Reinaldo Azevedo: por que a redação deveria ser impugnada

Vídeo: professor do Anglo analisa proposta de redação

Segundo dia de provas do Enem 2012

Atrasados do 2º dia culpam transporte público

Estudantes voltam a compartilhar fotos feitas nas salas de prova

Em Enem mais longo, candidatos tentam evitar afobação

Primeiro dia de provas do Enem 2012

MEC elimina 37 por fotografar prova

Cansaço é a maior dificuldade no 1º dia

Candidatos compartilham fotos a partir das salas de prova e são eliminados

O drama dos que chegaram atrasados

Uso do Enem

Seis formas de utilizar a nota do Enem rumo à universidade

Confira como cada instituição utiliza a nota do Enem

(Com Estadão Conteúdo)