Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Programação em torno da Semana de 22 terá 100 atividades

Agenda vai durar um ano e meio, entre julho deste ano e dezembro do próximo, com exposições, seminários, concertos e produções audiovisuais

Por Alessandro Giannini Atualizado em 11 Maio 2021, 15h18 - Publicado em 11 Maio 2021, 14h56

O secretário de Cultura e Economia Criativa do estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, anunciou nesta terça-feira, 11, a agenda de comemorações do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. Serão mais de 100 atividades, entre mostras, seminários, concertos e produções audiovisuais, a partir de  julho deste ano e até dezembro de 2022. “Estamos trabalhando com a ideia de uma grande agenda, com programação online e presencial, adotando todos os protocolos sanitários”, disse ele, em entrevista coletiva transmitida pelo YouTube.

Na programação, destacam-se a exposição 100 Anos Modernos, no MIS-SP, com a Bienal do Mercosul (fevereiro a maio de 2022); o ciclo de concertos Clássicos Modernistas, com a execução pela Osesp na Sala São Paulo de 100 obras de compositores influenciados pelo modernismo (março a dezembro de 2022); o seminário 100 Anos da Semana de 22, no Teatro Sérgio Cardoso, realizado com a Academia Paulista de Letras (julho de 2021 a fevereiro de 2022), e a série documental A Semana que ninguém viu, mas o Brasil jamais esqueceu, sobre a Semana de 22 e seus reflexos (exibição de 08 a 12 de fevereiro de 2022).

Paralelamente, o governador João Doria anunciou investimento de R$ 200 milhões na Cultura, por meio dos programas ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura, com investimento recorde de R$ 182 milhões em recursos próprios. Além disso, o governo paulista obteve liminar para usar os recursos da Lei Aldir Blanc, com investimento de R$ 18 milhões em 11 linhas de prêmios nas áreas de teatro, dança circo, literatura, artes visuais, música, audiovisual e Pontos de Cultura.

Publicidade