Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Órgão da ONU não confirma contato da Globo sobre pais de Kaysar

Tiago Leifert anunciou no final do 'BBB18' que ONU ajudaria a trazer família do refugiado ao Brasil

Por Estadão Conteúdo
Atualizado em 23 abr 2018, 12h02 - Publicado em 20 abr 2018, 16h59

Durante a final da 18ª edição do Big Brother Brasil nesta quinta-feira 19, o apresentador Tiago Leifert falou ao participante Kaysar Dadour, segundo colocado do reality, que a Organização das Nações Unidas (ONU) ajudaria a trazer sua família da Síria. Kaysar veio ao Brasil como refugiado em 2014, escapando da guerra civil que assola o país, deixando os pais para trás.

Apesar da animação na hora do programa, no Vídeo Show desta sexta-feira 20, Leifert explicou que conversou com Kaysar e baixou o tom sobre o assunto. “A ONU não vai entrar lá [na Síria] falando ‘cadê a família do Kaysar?’, não é isso. Ela é uma organização humanitária que consegue responder às perguntas que ele tem”, explicou o apresentador.

Procurado pela Agência Estado, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), órgão da ONU que cuida desses assuntos, afirma que a emissora não entrou em contato para falar sobre as tratativas de trazer os pais de Kaysar ao Brasil, pontuando que o processo de reunião familiar é complexo e definido em lei.

Continua após a publicidade

Procurada, a Globo informa que “mantém estreita relação” e que sua atuação junto à ONU, no caso do BBB, é para dar a Kaysar “todos os esclarecimentos necessários sobre suas necessidades”.

Confira o comunicado na íntegra:

“A Globo mantém estreita relação com a ONU e suas agências, em prol da discussão de questões de interesse público. Sobre esse assunto específico, houve uma aproximação para dar visibilidade ao tema dos refugiados de uma maneira geral e a Globo e a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) estão trabalhando juntos numa campanha que irá ao ar em breve. Ao saber do Kaysar, participante do BBB18, a ACNUR, que trabalha para proteger e promover soluções para refugiados em todo mundo, se colocou também à disposição para dar a ele todos os esclarecimentos necessários sobre suas necessidades, como faz com todas as pessoas na mesma situação”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.