Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ex-BBB Francieli perde cargo de conciliadora criminal

A gaúcha usou uma sala de audiências de fórum onde atuava para gravar uma participação para o reality show, mas informou que seria entrevistada para o programa ‘Encontro’ a respeito de concursos públicos

Por Da Redação - 19 mar 2015, 19h27

Francieli Berwanger Medeiros, eliminada no primeiro paredão do Big Brother Brasil 15, foi exonerada do cargo de conciliadora criminal que exercia no Juizado Especial Criminal do Foro Regional da Restinga, Zona Sul de Porto Alegre. Francieli havia sido foi afastada temporariamente da função quando entrou na casa do reality show, em janeiro, por “desatender aos deveres de lealdade e boa-fé previstos no Código de Ética da função”, segundo comunicado do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgado na época.

Leia também:

‘BBB15’: As (sub)celebridades que Francieli pode se tornar

No ‘BBB15’, Adrilles se desentende com Francieli: ‘Malévola’

Com 58% dos votos, Francieli é eliminada do ‘BBB15’

A perda do cargo é resultado de um procedimento administrativo aberto em janeiro pela Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) para investigar a conduta da gaúcha. Segundo o relato de uma juíza que atua no mesmo fórum que Francieli, ela pediu autorização para utilizar uma sala de audiências, informando que gravaria uma entrevista para o programa Encontro com Fátima Bernardes sobre o tema “concurseiros para delegado de polícia”. Mas, na verdade, ela usou o lugar para gravar um vídeo para o Big Brother Brasil. Além disso, Francieli não avisou sobre seu afastamento para se confinar na casa do BBB, o que pode ser caracterizado como abandono de função.

O conciliador criminal tem como função auxiliar o juiz na busca pela solução de um conflito e não tem vínculo empregatício ou estatutário com o Tribunal de Justiça. Em alguns casos, os interessados em exercer o cargo passam por um processo seletivo e recebem uma remuneração – caso de Francieli, que recebia 9,95 reais por audiência realizada, de acordo com a assessoria de imprensa do TJ do Rio Grande do Sul.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade