Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Em novo ataque de antissemitismo, Galliano é filmado dizendo “Amo Hitler”

Por Da Redação 28 fev 2011, 21h09

Ficou ainda mais arranhada ,nesta segunda-feira, a imagem do estilista britânico John Galliano, suspenso na semana passada pela Casa Dior por supostos insultos antissemitas. Em vídeo de 40 segundos divulgado pelo jornal sensacionalista The Sun, Galliano aparece dizendo “Amo Hitler”, visivelmente alcoolizado, a um grupo de pessoas sentadas junto a eles em um café.

“Gente como vocês estaria morta hoje. Suas mães, seus antepassados teriam sido exterminados pelo gás”, diz também o estilista no vídeo, feito por uma das pessoas do grupo no mesmo café no bairro de Marais, no centro de Paris, onde ocorreu um incidente similar na semana passada, segundo o Sun. Depois desse comentário, ouve-se uma voz feminina fora de visão dizendo: “Ah, meu Deus! Você tem problemas”, ao que Galliano responde prontamente: “Contigo. Você é feia”.

A matéria do tabloide britânico, que não informa quando o vídeo foi feito, acrescenta que o grupo era composto por franceses e italianos, nenhum dos quais era judeu. “Galliano estava sentado sozinho com sua bebida na mão quando nós nos sentamos à mesa ao lado”, explicou à reportagem o autor do vídeo. “Ele não parava de se intrometer, fazendo comentários sobre nós e sobre o que dizíamos. Sabíamos quem era. Ele é fácil de reconhecer”, acrescentou.

Segundo o jornal francês Le Parisien, outra jovem francesa denunciou no sábado, em uma delegacia, os insultos antissemitas que Galliano teria feito em outubro de 2010 no mesmo café La Perle. No incidente, aparentemente sem relação com os anteriores, Galliano debochou do físico da denunciante antes de proferir insultos antissemitas em inglês.

Galliano foi detido na noite de quinta-feira, em Paris, por ter proferido “insultos de caráter antissemita” a um casal supostamente formado por judeus, no bairro do Marais, conhecido por ser um reduto da comunidade judaica em Paris. Segundo a rádio francesa Europe 1, Galliano teria dito, em inglês: “Seu judeu de cara suja, você devia estar morto!” Um teste de bafômetro revelou 1,1mg de álcool por litro de sangue – muito acima do limite permitido para dirigir.

Continua após a publicidade

O estilista, que negou as acusações, teve suas funções como diretor artístico da Christian Dior suspensas pela maison até a conclusão das investigações. Após o incidente, Galliano, de 50 anos, foi rapidamente detido pela polícia e levado a uma delegacia do oitavo distrito, onde foi interrogado. Pouco depois, foi liberado “por ordem da promotoria.

Nascido em Gibraltar em 1960, John Galliano comanda o braço criativo da Dior (grupo LVMH) desde 1996. Desde 1999, Galliano dirige todas as linhas femininas da Dior, além da divisão de artigos de couro e da imagem da marca. Ao mesmo tempo, desenha suas próprias coleções.

Galliano se formou na prestigiada Saint Martin’s School of Art de Londres, de onde saíram alguns dos estilistas mais vanguardistas do século XX, que ajudaram a elevar a capital inglesa ao panteão das capitais mundiais da moda. Filho de um bombeiro hidráulico inglês e de uma espanhola, Galliano é um dos estilistas mais inventivos de sua época, deslumbrando as passarelas parisienses a cada temporada com suas criações ousadas e desfiles que são verdadeiros espetáculos de extravagância.

John Galliano começou desfilando na Semana de Moda londrina. Em 1987, venceu o prêmio de melhor estilista britânico do momento. Em 1993, decidiu mudar-se para Paris, onde vive até hoje. Dois anos mais tarde, foi contratado pelo presidente da prestigiosa LVMH, Bernard Arnault, como diretor de criação da Givenchy, outra das marcas de luxo mais disputadas do mundo.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade