Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Gente Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

Cardiologista alerta para perigo do excesso de energéticos no Carnaval

 Atique Gabriel, que também é nutrólogo, diz que uso da bebida pode causar alucinações e até morte

Por Valmir Moratelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
8 fev 2024, 12h00

Nesta época do ano, o consumo de energéticos costuma extrapolar os limites aceitáveis. Com o propósito de se ganhar mais disposição, muitas vezes são consumidos em misturas com bebidas alcoólicas e drogas ilícitas, dando resultados que o organismo não suporta. Os energéticos compõem o grupo de bebidas que contêm cafeína, com ou sem ingredientes adicionais e estimulantes como o açúcar, guaraná, taurina e L-carnitina. O cardiologista e nutrólogo Atique Gabriel explica à coluna os riscos da ingestão sem limites dos energéticos.

“Os defensores destas bebidas, entre eles os fabricantes, advogam que melhoram o nível de atenção, o estado de alerta, a concentração e, consequentemente, favorecem o desempenho intelectual e o rendimento físico. Quantos de nós já usamos estas bebidas para não dormir no volante e para passar uma noite em claro? A questão é que existe limite tênue entre efeitos positivos e o lado obscuro destas bebidas. Somos individualmente diferentes em inúmeras facetas. Qual a quantidade segura? Que componentes podem mais causar efeitos colaterais? Não existe resposta-padrão e, por este motivo, a moderação é mandatória. O lado obscuro pode ser testemunhado nas emergências médicas. Cada vez mais pessoas procuram este tipo de serviço, após uma ingesta robusta e apresentando sintomas eminentemente cardiovasculares e neurológicos: taquicardia, dor no peito, falta de ar se somam a crises de ansiedade, pânico, pensamentos suicidas e delírios. Não bastasse esta desfiguração, podem apresentar sinais de desidratação e alterações no funcionamento dos rins. Em síntese, o lado obscuro pode eventualmente ser prenúncio de infarto fulminante, derrame cerebral e atitude mental descontrolada”.

Pesquisadores italianos das Universidades de Roma e Pisa realizaram uma revisão sistemática em 2023, abordando o lado obscuro das bebidas energéticas e apresentando o “ranking” dos efeitos colaterais nos principais órgãos do corpo.

Porcentagem de complicações globais por órgãos:

– Cardiovasculares: 48%

Continua após a publicidade

– Neurológicas: 26%

– Gastrointestinais: 14%

– Renais: 8%

– Ginecológicas: 2.3 %

Continua após a publicidade

– Dermatológicas: 2.3%

Porcentagem de complicações cardiovasculares:

– Arritmias: 41.5%

– Parada cardíaca: 15%

Continua após a publicidade

– Infarto do coração: 12%

– Morte: 7%

Porcentagem de complicações neurológicas:

– Eventos psicóticos(*): 40%

Continua após a publicidade

– Convulsão: 27%

– Distúrbios da visão: 9%

– Derrame cerebral: 4,5%

– Ansiedade e agitação: 4,5%

Continua após a publicidade

(*) alucinações, delírios e pensamentos desorganizados

Como cada pessoa tem seus limites e sua reatividade a este tipo de bebida, o médico alerta para que não se consuma por modismo, por influência de redes sociais ou para ser agradável a outras pessoas. “Consulte um médico para lhe orientar que bebida energética seria mais propícia, qual dose, que marca e com qual periodicidade. Não abusem da sorte”, diz ele.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.