Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
. Thomas Traumann Jornalista e consultor de comunicação, é autor de "O Pior Emprego do Mundo", sobre o trabalho dos ministros da Fazenda. Escreve sobre política e economia

Golpismo de Bolsonaro ajuda Lula

Quanto mais presidente ameaça instituições, mais isolado fica

Por Thomas Traumann 1 ago 2022, 10h17

A insistência de Jair Bolsonaro em usar as comemorações do Sete de Setembro para ensaiar uma intervenção militar pode dar o empurrão necessário a um voto estratégico a favor de Lula da Silva ainda no primeiro turno. O golpismo do presidente hoje é o maior cabo eleitoral de Lula.

No sábado (30/07), na convenção do partido Republicanos, Bolsonaro dobrou a aposta no erro e prometeu transformar o Sete de Setembro numa mistura de militantes e militares: “Às 16 horas do dia 7 de setembro, pela primeira vez, as nossas Forças Armadas e as nossas irmãs, forças auxiliares, estarão desfilando na praia de Copacabana, ao lado do nosso povo”, anunciou.

Não existe a menor possibilidade de sair algo bom de um desfile de soldados armados e bolsonaristas pedindo intervenção militar no Supremo Tribunal Federal. Provavelmente a intenção é que nada de bom sai mesmo.

Desde a vergonhosa reunião do presidente com os embaixadores atacando a Justiça Eleitoral em julho, parte da elite que rejeita Lula e o PT começou a enxergar que é preciso impor limites a Bolsonaro. Este desconforto se traduziu numa cautelosa Carta aos Brasileiros, que começou como um movimento de juristas e até este domingo já reunia mais de 600 mil assinaturas defendendo a democracia e o respeito ao resultado das eleições.

As pesquisas de julho mostram que Bolsonaro tem dificuldades para atrair eleitores fora do circuito militares-agro-evangélico. Há dezenas de casos de políticos do Centrão que escondem o nome do presidente de suas campanhas, a começar por Arthur Lira, que faz uma campanha solo em Alagoas.

Mas agora o golpismo de impõe um risco maior, o de que a rejeição ao presidente faça com que eleitores que não pretendiam votar em Lula antecipem para o primeiro turno uma decisão que seria só tomada no segundo turno. Esta hipótese ainda é baixa, mas se o Sete de Setembro se tornar um grande movimento golpista, Lula pode ser o maior beneficiário.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)