Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Celso suspende julgamento sobre depoimento de Bolsonaro por escrito

Análise sobre pedido da AGU para que depoimento não seja presencial estava marcada para o próximo dia 2

Por Mariana Muniz Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 29 set 2020, 21h36 - Publicado em 29 set 2020, 20h52

O ministro Celso de Mello, relator do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que apura possível interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal, determinou a exclusão de pauta de julgamento o recurso apresentado pela AGU para que o presidente preste depoimento por escrito, e não presencialmente, como foi determinado pelo decano.

A análise do caso começaria no próximo dia 2, por decisão do ministro Marco Aurélio Mello — que assumiu o inquérito ao longo da licença médica de Celso. Marco Aurélio já havia, inclusive, votado favoravelmente ao depoimento por escrito de Bolsonaro.

Na decisão, dada às 19h35 desta terça-feira, o decano diz que Marco Aurélio “não poderia” ter pautado o caso “como o fez”, “apresentando proposta de ementa, elaborando relatório e formulando o primeiro voto no caso mencionado, embora ausente, para esse específico efeito, previsão regimental permissiva de tal comportamento processual”.

No despacho, o decano deu ao ex-ministro Sergio Moro, também investigado no inquérito, a possibilidade de impugnar, no prazo de cinco dias, o pedido feito por Bolsonaro. Segundo ele, a medida é necessária porque Moro “por figurar como coinvestigado, ter o direito de formular perguntas ao outro investigado”.

Após esse prazo, Celso de Mello irá pedir a inclusão em pauta do recurso para julgamento no plenário por videoconferência, e não mais no plenário virtual, para dar “ampla publicidade, como exige a Constituição”. Na última sexta-feira, o ministro anunciou que anteciparia a sua aposentadoria para o próximo dia 13 de outubro. A nova data do julgamento será definida pelo presidente do STF, ministro Luiz Fux.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.