Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Castro retoma obras de museu interrompido na era Sergio Cabral no Rio

Construção da nova sede do Museu da Imagem e do Som na orla da praia de Copacabana está parada desde 2016

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 7 dez 2021, 20h33 - Publicado em 8 dez 2021, 07h30

Um dos símbolos do Rio que despontava internacionalmente com a Copa do Mundo e as Olimpíadas era a instalação de um grande museu na praia de Copacabana, no prédio onde por décadas funcionou uma boate famosa pelo público em busca de prostituição.

A nova sede do Museu da Imagem e do Som do Rio era um projeto entre o governo de Sergio Cabral e a Fundação Roberto Marinho. Em 2016, quando Cabral já estava na cadeia por suspeitas de corrupção e seu sucessor, Luiz Fernando Pezão, enfrentava uma grave crise fiscal no estado, o governo suspendeu as obras e pouco depois a fundação deixou o projeto, que ficou parado por cinco anos.

Nesta quarta, o governador do Rio, Cláudio Castro, participará de uma cerimônia de retomada da construção, que já estava 70% concluída. O investimento é parte do esforço de Castro de imprimir uma marca própria para seu governo. Concluir obras que ficaram paradas da era Cabral é uma parte deste plano.

Publicidade