Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

As fotos de Lula que deixam Janja “horrorizada”

O presidente disse que a primeira-dama questiona "por que só homem" nas fotografias, mas disse que "às vezes a maioria é homem mesmo, fazer o quê?"

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 jan 2024, 12h44 - Publicado em 23 jan 2024, 09h46

O presidente Lula comentou nesta terça a cobrança que sofre da primeira-dama Janja quando é fotografado só com homens, mas reconheceu que “às vezes a maioria é homem mesmo”. “Fazer o quê?”, disse o petista.

“Ela é muito preocupada com a questão das mulheres, sabe? E me cobra, você não tem noção como me cobra quando o Stuckinha [o fotográfo Ricardo Stuckert] tira uma fotografia minha e só tem homem. Quando ela vê a foto, ela fica horrorizada, se não tinha mulher pra colocar na foto. Por que só homem, só homem, só homem? E às vezes a maioria é homem mesmo, fazer o quê?”, declarou Lula, em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante indicações de Flávio Dino ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal e de Paulo Gonet ao cargo de procurador-geral da República, no Palácio do Alvorada, em 27 de novembro de 2023
O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante indicações de Flávio Dino ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal e de Paulo Gonet ao cargo de procurador-geral da República, no Palácio do Alvorada, em 27 de novembro de 2023 (Ricardo Stuckert/PR)

Na sequência, ele lembrou de quando fez o primeiro congresso da trabalhadora metalúrgica em São Bernardo do Campo, em 1978, “a primeira vez que a gente fazia um congresso de mulher”, e a diretoria era só de homem, só tinha homem.

Continua após a publicidade

“E as feministas daquela época quase me matam porque não tinha mulher na mesa, não tinha mulher na mesa. E agora não é mais uma questão de feminista, é uma questão que as mulheres conquistaram empoderamento, e elas querem falar, elas querem participar, elas querem ser sujeito da história, elas não querem mais ser coadjuvantes”, afirmou.

“Então a Janja me ajuda muito nisso, eu sou muito, muito, muito grato ao comportamento dela com relação a mim. A gente discute todo e qualquer assunto sem nenhuma frescura. Não é porque ela é minha mulher que ela tem que ficar quieta. Não. É por ser minha mulher que ela tem que falar. Mas muito mais porque ela é militante política, ela gosta de política, ela faz política, então ela tem que colocar o posicionamento dela. Quando a gente não tá de acordo, a gente para de discutir porque a gente também não quer brigar. Porque tudo sempre termina em muita paz, muito carinho e muito amor”, concluiu o presidente.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.