Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Antes da guerra, Rússia prometeu a Bolsonaro mais fertilizante para o agro

'Ouvimos mais sobre o conflito no Brasil do que em Moscou', disse uma pessoa que esteve na reunião do presidente com empresários russos há duas semanas

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 3 mar 2022, 13h02 - Publicado em 3 mar 2022, 17h30

Na viagem de Jair Bolsonaro à Rússia há duas semanas, o presidente e seus auxiliares se juntaram a empresários do agronegócio brasileiro liderados por Marcos Molina, o dono da Marfrig, para uma reunião com os principais fornecedores russos de potássio, fósforo e nitrogênio, os insumos base dos fertilizantes usados nas lavouras.

O encontro ocorreu no dia 16 no hotel Metropol, em Moscou, e transcorreu em clima de cooperação. Segundo uma pessoa que participou das conversas, os brasileiros pediram aos russos mais embarques de fertilizantes ao Brasil para baratear o produto e aumentar as nossas exportações agrícolas.

Os russos, grandes compradores de soja e proteína animal brasileira, disseram, segundo essa fonte, que tinham interesse e que fariam o possível para enviar mais ao Brasil. Um dos presentes era Andrey Guryev, dono da gigante PhosAgro, uma dos maiores produtoras de fosfato da Europa.

Apesar do conflito iminente–a Rússia atacaria a Ucrânia sete dias depois da reunião–, quase não se falou em guerra e nem do impacto dela nas rotas comerciais. “Ouvimos mais sobre o conflito no Brasil antes de embarcar do que na nossa viagem a Moscou”, disse uma pessoa que integrou a comitiva de Bolsonaro em fevereiro.

Tudo o que foi prometido, disse essa fonte, caiu por terra com a invasão. “Nos prometeram fazer o possível para mandarem mais fertilizantes, mas tudo voltou como era antes”, disse.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)