Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

O Som e a Fúria Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Felipe Branco Cruz
Pop, rock, jazz, black music ou MPB: tudo o que for notícia no mundo da música está na mira deste blog, para o bem ou para o mal
Continua após publicidade

A reação de Peter Jackson ao ser convidado para dirigir clipe dos Beatles

O cineasta revelou que dirigiu o documentário da música inédita da banda, 'Now and Then', que será lançada na quinta-feira

Por Felipe Branco Cruz Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 out 2023, 20h13 - Publicado em 31 out 2023, 19h49

O diretor Peter Jackson anunciou nesta terça-feira, 31, ser o responsável pela direção do videoclipe Now and Then, música inédita dos Beatles, cujo clipe será lançado na sexta-feira, 3 de novembro. A música estará disponível nas plataformas de streaming um dia antes, na quinta-feira, 2. Na quarta-feira, 1, um curta-metragem também será divulgado revelando como Paul McCartney e Ringo Starr produziram a nova canção, com ajuda de uma inteligência artificial e dos herdeiros de John Lennon e George Harrison.

Em uma entrevista publicada no site oficial dos Beatles, Peter Jackson contou sobre a responsabilidade de dirigir o último clipe dos Beatles. “Quando a Apple me pediu para criar o videoclipe, fui muito relutante – achei que os próximos meses seriam muito mais divertidos se essa tarefa complicada fosse problema de outra pessoa, e eu pudesse ser como qualquer outro fã dos Beatles, aproveitando a antecipação da noite anterior ao Natal à medida que o lançamento de uma nova canção e videoclipe dos Beatles se aproximava – em 1995, eu adorava a excitação infantil que sentia à medida que o lançamento de Free As A Bird estava se aproximando”, disse.

Em novembro de 2021, o cineasta dirigiu o documentário Beatles: Get Back, com imagens inéditas dos bastidores da gravação do álbum Let It Be, também restauradas com a ajuda de uma inteligência artificial. Em entrevista a VEJA sobre o documentário, Jackson disse ter se divertido muito com os Beatles e que as pessoas se deslumbrariam em saber como John Lennon era engraçado.

Na década de 1970, pouco antes de morrer, John Lennon gravou uma versão demo para a música em sua casa, em Nova York. Em 1994, Yoko Ono presenteou Paul, Ringo e George com a música, incluindo Free as Bird e Real Love. A ideia era ter lançado a faixa junto com o projeto Anthology, mas a gravação era muito ruim e a tecnologia da época não permitiu separar a voz de John.

“Meu amor vitalício pelos Beatles colidiu com um muro de puro terror ao pensar em desapontar a todos. Isso criou uma intensa insegurança em mim, pois eu nunca havia feito um videoclipe antes e não conseguia imaginar como começar a criar um para uma banda que se separou há mais de 50 anos, que nunca realmente tocou a música e considerando que metade de seus membros já não está mais entre nós. Seria muito mais fácil desistir”, completou Jackson.

Continua após a publicidade

Jackson contou que a razão em desistir era a falta de imagens originais dos quatro juntos trabalhando na canção Now And Then. “Paul e Ringo gravaram filmagens deles mesmos se apresentando e enviaram para mim. A Apple desenterrou mais de 14 horas de filmes esquecidos há muito tempo gravados durante as sessões de gravação de 1995, incluindo várias horas de Paul, George e Ringo trabalhando em Now And Then, e deram tudo isso para mim. Sean e Olivia encontraram algumas ótimas filmagens caseiras inéditas e enviaram-nas. Para encerrar, alguns preciosos segundos dos Beatles se apresentando em seus ternos de couro, o filme mais antigo conhecido dos Beatles e nunca visto antes, foi gentilmente fornecido por Pete Best”, revelou Jackson.

O cineasta explicou ainda como foi feito o tratamento na voz de John. “Após separarmos a voz de John na fita demo há mais de um ano, Giles produziu uma mixagem inicial de Now And Then. Isso foi enviado para mim em 2022. Eu amei. Desde então, devo ter ouvido Now And Then mais de 50 vezes, apenas por prazer. Agora comecei a ouvi-lo atentamente por razões diferentes. Eu esperava que ideias ou inspiração para o curta-metragem surgissem de alguma forma na música. E isso começou a acontecer. À medida que continuei ouvindo, parecia que a música estava criando ideias e imagens que começaram a se formar na minha cabeça – sem qualquer esforço consciente da minha parte”, disse.

“Felizmente, encontramos uma coleção de cenas excluídas inéditas no cofre, onde os Beatles estavam relaxados, engraçados e bastante sinceros. Isso se tornou a espinha dorsal de nossa seção intermediária, e entrelaçamos o humor em algumas filmagens feitas em 2023. O resultado é bastante maluco e forneceu ao vídeo o equilíbrio necessário entre o triste e o engraçado”, finalizou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.